SAÚDE

Último paciente internado deixa o Hospital de Campanha de Mogi das Cruzes

ATENDIMENTO Último paciente internado no Hospital de Campanha de Mogi deixou o local ontem à tarde, sob mensagens de apoio das equipes médicas que atuaram no local durante os 99 dias de funcionamento da estrutura, no Mogilar. (Fotos: Eisner Soares)

Às 15h30 desta segunda-feira (31), o último paciente internado no Hospital de Campanha de Mogi das Cruzes deixava a unidade. A cena foi acompanhada de aplausos e mensagens de apoio das equipes médicas que, por 99 dias – desde a ativação do equipamento em 24 de maio -, dedicaram as próprias vidas na linha de frente do combate à pandemia de Covid-19. “É um sentimento extremamente gratificante. Somos gratos pela oportunidade de ajudar ao próximo. Foram um trabalho e período árduos, mas graças a Deus conseguimos avançar para um próximo capítulo”, comentou um dos profissionais do local.

Às vésperas do aniversário do município, o encerramento do hospital é um presente simbólico que se tornou possível após queda nas taxas de internações de pessoas com a Covid-19 em Mogi, e aponta por dias melhores pela frente. A situação, claro, não justifica descuidos com o novo coronavírus, que ainda circula e provoca vítimas diariamente na cidade e região.

Ontem, os últimos dois pacientes que permaneciam no local foram transferidos de ambulância ao Hospital Municipal de Mogi das Cruzes, em Braz Cubas, onde, apesar de apresentarem estado de saúde positivo, permanecerão em observação. Equipes já retiravam mobiliário e os primeiros equipamentos, em um trabalho previsto para se estender entre hoje e amanhã. Já a remoção da estrutura deverá ocorrer nos próximos dias pela mesma equipe responsável pela construção.

Em 99 dias de funcionamento, o hospital recebeu 496 pacientes, dos quais 445 tiveram alta e 51 foram transferidos para o Hospital Municipal após piora no quadro de saúde. Não houve óbitos no local.

O contrato para funcionamento do hospital iria até o dia 7 de agosto, mas o Comitê Gestor do Coronavírus de Mogi decidiu prorrogar até o final do mês para garantir eventuais atendimentos necessários. O valor da ampliação foi de R$ 738 mil, conforme consta no Portal da Transparência. Foi cogitada pela Secretaria de Saúde a ampliação de mais 30 dias, ideia posteriormente descartada após queda no número de internações no município. A estrutura, montada ao lado do Ginásio Municipal Hugo Ramos, custou R$ 2,8 milhões.

Questionada por O Diário, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou que após o hospital ser desmontado, alguns itens da unidade serão utilizados em novas unidades que estão sendo implantadas na cidade, como a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jundiapeba, o Complexo Integrado de Atenção à Saúde (CIAS), no Rodeio e a Maternidade Municipal, em Braz Cubas. “Outros serão direcionados às unidades de origem, de onde foram remanejados temporariamente”, informou a pasta em nota.

Mortes por Covid-19 reduzem em agosto

Agosto teve início abrupto na região, mas consolidou queda nos óbitos atrelados à Covid-19 e desaceleração no ritmo de contágio da infecção no Alto Tietê. O número de vidas perdidas para o novo coronavírus no mês foi 21,7% inferior ao registrado em julho.

Em junho, os municípios haviam contabilizado 290 mortes provocadas pela Covid-19. Já ao longo de julho, foram notificados 312 óbitos de pacientes contaminados. Este número caiu – pela primeira vez desde a chegada da pandemia – durante agosto, com registro de mais 244 vítimas fatais da doença.

O número de moradores que testam positivo para o vírus continuou em crescimento, porém, em ritmo desacelerado. Foram 4.146 novos casos de contágio em junho, 6.531 em julho e 7.923 em agosto.

Com o fim do mês, a região soma hoje 1.204 vidas perdidas para o novo coronavírus, sendo mais 14 nas últimas 72 horas. Outros 21.961 moradores da região já testaram positivo para a doença. Deste montante, 12.285 pacientes foram classificados como recuperados.

As vítimas mais recentes residiam nas cidades de Arujá (1), Ferraz de Vasconcelos (1), Mogi das Cruzes (6), Salesópolis (1), Santa Isabel (2) e Suzano (3).

Todos os dados citados são embasados em informações disponibilizadas pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), que reúne e acompanha números das Vigilâncias Epidemiológicas da região.

São Paulo

O Estado de São Paulo registrava nesta segunda-feira 30.014 óbitos e 804.342 casos confirmados do novo coronavírus.

Entre o total de casos diagnosticados de Covid-19, 644.441 pessoas estão recuperadas, sendo que 90.288 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 51,3% na Grande São Paulo e 54% no Estado. O número de pacientes internados é de 11.267, sendo 6.312 em enfermaria e 4.955 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 10h30 desta segunda-feira.

Entre as vítimas fatais estão 17.306 homens e 12.708 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 75,8% das mortes.


Deixe seu comentário