MENU
BUSCAR
FATAL

Acidente mata duas pessoas no viaduto Ryu Mizuno, em Suzano, na madrugada deste sábado

Colisão entre caminhão e carro deixa duas vítimas fatais, que estavam sem documento, segundo as primeiras informações os agentes que atenderam a ocorrência

Eliane JoséPublicado em 28/08/2021 às 10:21Atualizado há 1 mês
Divulgação/Secop Suzano
Divulgação/Secop Suzano

Duas pessoas que estavam sem documentos morreram após uma violenta colisão frontal com um caminhão no viaduto Ryu Mizuno, na região central de Suzano, na madrugada deste sábado. A força do impacto fez com que os dois morressem momentos após a batida.

Durante parte da madrugada e da manhã deste sábado chuvoso (28), o antigo e muito utilizado viaduto ficou interditado para a retirada das vítimas e de destroços dos veículos espalhados pela pista. Houve a interdição do local para a realização dos trabalhos de resgate e a pista foi liberada por volta das 9h40.

Os dois ocupavam um Santana, que teve a parte frontal destruída, como mostram registros publicados em redes sociais de pessoas como Antonio Carlos Caetano.

De acordo com as primeiras informações das equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia, que participaram da ocorrência, não foi possível identificar o motorista e acompanhante, que estavam sem documento. 

Segundo a Prefeitura, foi encontrado apenas um tiquete de um estacionamento de um condomínio residencial da cidade de Mongaguá. 

Nas primeiras horas da manhã, os corpos ainda estavam no local, até serem encaminhados para o Instituto Médico Legal, de Suzano, para o início dos procedimentos de perícia e identificação.

O caminhão transportava uma carga de milho. Segundo apurações preliminares, informa a Prefeitura, o veículo Santana trafegava no sentido centro-bairro quando o motorista invadiu a pista contrária e colidiu com um caminhão carregado de milho que vinha na direção oposta.

Em razão do forte impacto, o homem que conduzia o automóvel teve morte instantânea. A passageira também veio a óbito em seguida, pouco antes da chegada da ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e das viaturas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Já o motorista do caminhão não sofreu sequer escoriações.

As imagens do acidente mostram as pistas molhadas.

Atendimento

A Prefeitura informa que agentes de trânsito deram apoio no trecho para promover interdições e desvios necessários e também para retirar os veículos e encaminhá-los à Delegacia Central de Polícia, onde a ocorrência seria registrada. 

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes esclarece. o viaduto Ryu Mizuno é sinalizado com placas, linha dupla contínua e tachões – inclusive passou por revitalização neste ano – e que o acidente foi ocasionado por interferência humana, seja porque o condutor do automóvel tentou uma ultrapassagem irregular ou por outra razão que deverá ser esclarecida pela Polícia Civil.

A secretaria explica que atua na adoção de medidas para reduzir a quantidade de ocorrências de acidente na cidade, em especial com reforço da sinalização e monitoramento das vias públicas com agentes de trânsito.

A cidade registra, ainda, uma queda de 53% no número de vítimas fatais no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado: de 13 para seis, segundo dados do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga-SP).

“Isso demonstra que a sinalização promovida na cidade está dando resultado. Claro que há também os fatores negligência, imprudência e imperícia, causados pelo motorista, pelo pedestre etc. Para isso temos feito campanhas, mesmo que online durante a pandemia, para baixar esses números. Ainda que tenha havido uma queda de 53%, o nosso objetivo é que situações tristes como essa não ocorram e o índice fique em zero”, explica o secretário de Transportes e Mobilidade Urbana de Suzano, Claudinei Galo.

Nas redes sociais da cidade, que replicaram as primeiras noticias sobre o acidente, suzanenses, cobravam maior fiscalização ao excesso de velocidade e ações para prevenir incidentes no acesso.