EM CARTAZ

Série traz montagem inspirada em texto inédito de Antunes Filho

QUEM Ana Kfouri apresenta ‘Uma Frase Para Minha Mãe’ enquanto Renato Livera atua em ‘Colônia’ e Luiz Pãetow dirige ‘﹩odoma \G/omorra’

No ar desde maio, a série #EmCasaComSesc apresenta ao público amanhã a montagem ‘Colônia’, com Renato Livera, às 21h30, com transmissão diretamente da casa do artista. Ontem, Georgiana Góes encenou ‘Pequenos e Grandes Gestos de Despedida’.

Com idealização e atuação de Renato Livera, ‘Colônia’ é resultado de um ano de processo de pesquisa junto ao diretor Viniciús Arneiro e o dramaturgo paulistano Gustavo Colombini. Pela primeira vez, o trabalho será apresentado na íntegra com transmissão ao vivo.

No formato de peça-palestra, o espectador é convidado a acompanhar o desmembramento das acepções da palavra “colônia”, presenciando um discurso nascido no espaço entre o conceito e a poesia. Dois fatos da história brasileira foram catalisadores da pesquisa: a herança colonial do Brasil e a história do Hospital Colônia de Barbacena (MG), hospício onde mais de 60 mil pessoas foram torturadas e mortas ao longo de décadas.

Na sexta-feira, dia 18, Ana Kfouri apresenta ‘Uma Frase Para Minha Mãe’, texto do francês Christian Prigent, com direção da própria atriz. O solo coloca em cena a experiência do despertar para a língua e para a literatura por meio da mobilização de sensações afetivas e corporais ligadas à figura da mãe e da relação com a língua materna. É também um convite ao público para, em tempos de pandemia e isolamento, conectar-se à força da palavra.

Ana Kfouri é diretora, atriz, doutora em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e professora do Curso de Artes Cênicas da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC Rio). Atualmente, realiza pós-doutorado na UFRJ.

O inédito ‘Antunes Filho : ﹩odoma \G/omorra’, concebido e dirigido por Luiz Päetow, será apresentado pela primeira vez no domingo, dia 20. A montagem, que faria parte do 29º Festival de Curitiba em abril, cancelado em razão da pandemia, agora volta como uma ação do Festival em parceria com o #EmCasaComSesc.

Transcendendo as molduras tradicionais do teatro, reinventado em um contexto ainda mais apocalíptico, o espetáculo é construído a partir das pesquisas cênicas do diretor Antunes Filho (1929-2019), que por 37 anos comandou o Centro de Pesquisa Teatral (CPT), fundado em 1982.

Päetow cria, a partir da obra inacabada, uma montagem que explora os alicerces da gramática teatral e une reflexão e catarse, em sintonia com os tempos pandêmicos atuais. A encenação contará com as participações virtuais de Matheus Nachtergaele, Grace Passô, Christian Malheiros, Nena Inoue, Jé Oliveira, Gabriela Flores, entre outras.


Deixe seu comentário