Entrar
Perfil
POLÍCIA CIVIL

Traficante de Mogi é procurada por sonegação milionária na operação Robgol

Entre os alvos de 13 mandados de apreensão está uma mulher que seria uma das "chefes" de organização criminosa

O Diário
01/12/2022 às 11:49.
Atualizado em 01/12/2022 às 21:19

Dinheiro foi apreendido em Volta Redonda, na casa do homem que é apontado como gerente do tráfico (Divulgação - MPRJ)

Uma operação realizada pelo Ministério Público e a Polícia Civil do Rio de Janeiro procura por uma mulher que reside em Mogi das Cruzes e seria responsável pelo fornecimento de drogas entre o munícipio e cidades do Rio de Janeiro. A Operação Robgol foi iniciada em 2020, após a apreensão de drogas em Barra Mansa, na rodovia Presidente Dutra.

Nesta quinta-feira (1), um homem apontado como gerente o tráfico de drogas foi preso em Volta Redonda (RJ) durante a segunda fase operação Robgol. Com ele, foram apreendidos R$ 7.150 em espécie, dois celulares e uma máquina de contar dinheiro.

Essa operação visa prender os suspeitos de integrar uma organização criminosa de Barra Mansa investigada pela venda de grande quantidade de drogas, além de lavagem de dinheiro, há alguns anos.

Estão sendo cumpridos sete mandados de prisão e 13 de busca e apreensão em endereços ligados aos alvos em Volta Redonda, Taubaté e Mogi das Cruzes. Os detidos são encaminahdos para o 5º Departamento de Policiamento de Área (DPA) de Volta Redonda.

De acordo com a investigação do MPRJ, uma mulher seria a responsável pelo fornecimento de drogas entre Mogi das Cruzes, Barra Mansa, Volta Redonda e o Rio de Janeiro.

Detalhes da denúncia apontam que teriam sido "lavados R$ 35 milhões em cinco anos" em um esquema que se valia de revendas de gás e água mineral no interior paulista.

A 1ª Vara Criminal Especializada da Comarca do Rio também determinou o arresto e o sequestro de cerca de R$ 35 milhões em contas bancárias, um automóvel de luxo e fazendas utilizadas para lavar dinheiro oriundo do tráfico de drogas.

História

O nome da operação, Robgol, é o apelido do traficante Robson Tertuliano da Silva, responsável pelo tráfico em cidades do Rio, além do Terceiro Comando Puro, que atua na zona oeste da capital.

As investigações tiveram início depois da apreensão de 37 kg de cocaína realizada pela Polícia Rodoviária Federal na Via Dutra, em Barra Mansa, em 2020. À época, foi descoberto que a droga saiu de Taubaté (SP) e seguia para as cidades do Sul do Rio.

A primeira fase da operação foi deflagrada em maio de 2021, com a prisão de cinco pessoas foram presas, 50kg de cocaína e cinco veículos foram apreendidos.

A operação foi batizada de “Robgol” em referência ao apelido do chefe da organização criminosa investigada.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2023É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por