O delegado seccional de Mogi das Cruzes e Alto Tietê, Jair Barbosa Ortiz, descartou o fechamento de dois Distritos Policiais (DP) no município, durante encontro realizado com os vereadores na tarde desta terça-feira (12). Ele disse que o objetivo dele não é reduzir, mas sim ampliar o atendimento à população, com o funcionamento 24 da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade em breve.

Convidado para ir à Câmara para esclarecer os comentários que circulam na cidade sobre desativação dos DPs de César de Souza (3º) e de Jundiapeba (4º), Jair Ortiz afirmou, no entanto, que o apesar de não ter nada de concreto a respeito dos distritos na Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), os vereadores precisam continuar “mobilizados” e “não devem baixar a guarda”.

Segundo ele, as lideranças políticas devem ficar alertas porque existe um estudo que vem sendo realizado pela Estado para reestruturar e tentar otimizar serviços, o que poderia refletir em fechamento de unidades para concentrar mais poder em outras, remanejando os recursos humanos. “Esse estudo poderia chegar à conclusão de que deveria fechar o DP de César e concentrar mais reforço no 1º DP, com número maior de funcionários”, exemplifica.

Na opinião dele, no entanto, esse argumento já não se justifica mais, porque hoje a polícia conta com recursos tecnológicos que ajudam nas investigações e permitem que um número menor de funcionários e policiais atuem nas delegacias.

Ortiz destacou várias vezes o seu interesse em ampliar os investimentos em segurança na região. Ele disse que a partir da inauguração da nova DDM em Itaquaquecetuba, no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher - evento que deve contar com a presença do governador João Dória (PSDB) -, ele já via começar a articular a instalação de uma segunda unidade da DDM em Mogi, outra em Suzano, além de citar a necessidade de criar os serviços em Ferraz de Vasconcelos.

“Reforço aqui que a minha passagem por aqui é para criar unidades e não encerrar. Minha justificativa é de que não precisa de 5 ou 6 pessoas para uma função, basta um bem preparado”, enfatizou, ao observar que um dos problemas é a falta de recursos humanos para manter os locais funcionando.

O presidente da Comissão de Transportes e Segurança, Mauro de Assis Margarido (PSDB), disse que a notícia deixa a cidade “mais aliviada”, e confirmou sua disposição em manter a união de forças entre lideranças políticas da cidade para evitar que isso aconteça. Vários outros parlamentares reforçaram seus posicionamentos em favor da manutenção das delegacias em César e Jundiapeba, dois distritos populosos da cidade.

A Secretaria de Segurança confirma, em nota, que atualmente não há nenhum estudo concluído sobre a criação ou reestruturação de unidades policiais em Mogi das Cruzes. Acrescenta ainda que a SSP, em parceria com as polícias Civil, Militar e Técnico-Científica, realiza estudos constantes para aprimorar suas estruturas, otimizar o trabalho policiais e o atendimento à população.