Entrar
Perfil
ATUALIZAÇÃO

Polícia atualiza caso da estação de Suzano e diz não ter havido estupro

Ao conferir imagens de câmeras de monitoramento, a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) concluiu que a denunciante não esteve nos locais mencionados

O Diário
20/07/2022 às 17:19.
Atualizado em 20/07/2022 às 17:35

(Reprodução - Google Maps)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
ATUALIZAÇÃO

Polícia atualiza caso da estação de Suzano e diz não ter havido estupro

Ao conferir imagens de câmeras de monitoramento, a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) concluiu que a denunciante não esteve nos locais mencionados

O Diário
20/07/2022 às 17:19.
Atualizado em 20/07/2022 às 17:35

(Reprodução - Google Maps)

Há seis dias, O Diário divulgou a notícia de uma mulher de 26 anos que teria sido abordada e estuprada logo após deixar a Estação Suzano da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Agora, a reportagem atualiza o caso, com novas informações divulgadas pela Polícia Civil e disponibilizadas pelo G1: não houve estupro.

Realmente havia um registro relacionado a este crime, como informou à época a Secretaria de Segurança Pública (SSP). O que mudou é que, ao conferir imagens de câmeras de monitoramento, a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) concluiu que a denunciante não esteve nos locais mencionados.

Os vídeos foram solicitados pela DDM à Central de Segurança Integrada (CSI) do município. A polícia também refez o trajeto, acompanhada pela denunciante.

Antes, a vítima havia dito que o homem estaria armado com uma faca e a teria ameaçado. Ele teria agredido a mulher no rosto, obrigando-a a entrar em um carro. Depois, ele teria dirigido o veículo até a rodovia Índio Itibiriçá, em Suzano, onde ocorreram agressões.

No entanto, as novas informações divulgadas pela polícia dão conta de que a mulher saiu com uma pessoa que conhece há mais de um ano. Questionada sobre isso, ela teria admitido que a relação sexual foi consensual, mas apontou que o parceiro foi violento.

A polícia, que não conseguiu confirmar o relato inicial, de deverá apurar se houve falsa comunicação de crime.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por