MENU
BUSCAR
TRISTE DESTINO

Polícia deteve dois colegas do pichador que morreu ao cair de prédio em Mogi

Eles estavam próximos ao acidente e, apesar de negaram que estivessem pichando, um deles carregava mochila com tinta, rolinho e outros materiais

O DiárioPublicado em 18/07/2021 às 12:46Atualizado há 10 dias
Divulgação - Pixabay
Divulgação - Pixabay

O caso da morte de Jean Michel Douglas Santos Silva, de 30 anos, após sofrer uma queda enquanto pichava um prédio no cruzamento das ruas Santana e Ipiranga, na madrugada de sábado (17), envolve também dois colegas da vítima, que estavam próximos ao local quando ocorreu o acidente: Gabriel de Moraes Martins, de 20 anos, e Ricardo da Silva Staub, de 31 anos, moradores em Mogi.

A Polícia Militar informa que os dois foram detidos e, apesar de negarem que estivessem pichando, foi encontrada com Gabriel uma mochila com lata de tinta, a qual ele afirmou ser de Jean, que teria se desequilibrado de uma altura de 9 metros quando tentava pichar a parede da estrutura.

Jean chegou a ser levado para o Hospital Luzia de Pinho Melo, mas não resistiu aos graves ferimentos e morreu por volta das 2h00 da madrugada.

O caso foi atendido na Central de Polícia Judiciária de Mogi das Cruzes pelo delegado Guilherme Cyrino, que apreendeu a mochila com um rolinho, uma folha de papel com desenhos para pichação e um galão de tinta, além dois celulares de Gabriel e Ricardo.

De acordo com informações da Prefeitura de Mogi, foi a Central Integrada de Emergências Públicas (Ciemp) que comunicou o caso à Guarda Municipal para que fosse até o local para atender a ocorrência de um pichador que havia caído.

O caso foi registrado como morte suspeita/morte acidental, e os dois suspeitos que estavam com a vítima foram indiciados por crime ambiental.

ÚLTIMAS DE Polícia