Entrar
Perfil
AGOSTO LILÁS

Patrulha Maria da Penha protege mais de 212 mulheres de Mogi em rondas de rotina

Grupamento da Guarda Municipal amplia ações no mês de conscientização sobre a violência contra as mulheres e divulga balanço de prisões e atendimentos

O Diário
22/08/2022 às 11:48.
Atualizado em 22/08/2022 às 11:49

Os agentes da Patrulha Maria da Penha realizam rondas em endereços onde residem e/ou trabalham as mulheres que possuem medida protetiva judicial (Divulgação/PMMC/Pedro Chavedar)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
AGOSTO LILÁS

Patrulha Maria da Penha protege mais de 212 mulheres de Mogi em rondas de rotina

Grupamento da Guarda Municipal amplia ações no mês de conscientização sobre a violência contra as mulheres e divulga balanço de prisões e atendimentos

O Diário
22/08/2022 às 11:48.
Atualizado em 22/08/2022 às 11:49

Os agentes da Patrulha Maria da Penha realizam rondas em endereços onde residem e/ou trabalham as mulheres que possuem medida protetiva judicial (Divulgação/PMMC/Pedro Chavedar)

O grupo formado por 212 mulheres que possuem, hoje, medidas protetivas judiciais são acompanhadas pela Patrulha Maria da Penha, mantida pela Guarda Municipal de Mogi das Cruzes, em bairros como perfil socioeconômico distinto, cmo a Vila Oliveira e Jundiapeba. Moradoras que já tiveram medida protetiva também são atendidas pelo grupo. Neste mês, ações para a conscientização e combate à violência contra a mulher são realizadas dentro do projeto Agosto Lilás. 

Na cidade, a Guarda Municipal possui um grupamento específico para a proteção e o atendimento à mulher vítima de violência doméstica. Segundo balançao divulgado pela gestão, a Patrulha Maria da Penha atendeu, neste ano, 37 ocorrências de violência doméstica ou descumprimento de medida protetiva, com 31 prisões em flagrante.

Atualmente, 212 mulheres com medidas protetivas expedidas pela Justiça contra companheiros com algum histórico de violência.

O grupo de agentes realizam rondas nas proximidades dos locais de residência e trabalho das vítimas, além de contatos frequentes com as mulheres.

Do total de ocorrências registradas no primeiro semestre deste ano, apenas 12 foram referentes a mulheres acompanhadas pelo grupamento. As demais ocorreram com pessoas que não fazem mais parte do trabalho ou vítimas não acompanhadas.

De acordo com dados da Guarda Municipal, as regiões com a maior incidência de ocorrências são Jundiapeba, Centro, Vila Oliveira, Vila Natal e Mogi Moderno.

“A violência contra a mulher é um problema que, infelizmente, está presente em todo o Brasil e merece uma atenção especial dos órgãos de atendimento social e de segurança. A Patrulha Maria da Penha é parte importante nas ações da Prefeitura de Mogi das Cruzes no enfrentamento à violência contra a mulher, que busca oferecer mais segurança a estas vítimas para que elas possam seguir suas vidas”, afirmou o secretário municipal de Segurança, Toriel Sardinha.

Em seis meses, o grupamento realizou 1.777 rondas. Neste trabalho, as equipes percorrem as regiões de moradia e trabalho das vítimas acompanhadas. Já as mulheres têm acesso a um contato direto com as equipes da patrulha para situações de urgência e emergências.

A iniciativa Agosto Lilás é realizada em referência ao aniversário da Lei Federal  11.340, popularmente conhecida como Lei Maria da Penha. Instituída em 7 de agosto de 2006, em 2022, a legislação completou 16 anos de existência. Em Mogi das Cruzes, a Patrulha Maria da Penha existe há quatro anos e, desde sua criação, já prestou atendimento a 1.398 vítimas de violência.

A Guarda Municipal atende ocorrências pelo telefone 153, que funciona 24 horas por dia.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por