A mulher esfaqueada pelo ex-companheiro no bairro do Jardim Ivete, em Mogi das Cruzes, na tarde desta quinta-feira (19), tinha medida protetiva de urgência há menos de um mês contra o suspeito.

A justiça determinou em 24 de outubro que o suspeito ficasse a, pelo menos, 100 metros de distância dela e que não mantivesse qualquer tipo de contato com os familiares dela. 

De acordo com o boletim de ocorrência, o autônomo, de 26 anos, foi preso em flagrante e indiciado por descumprimento de medida protetiva de urgência, tentativa de feminicídio, dano qualificado, sequestro e cárcere privado e violação de domicílio.

Segundo o histórico da ocorrência, uma equipe da PM foi acionada para atender à ocorrência. No local, testemunhas informaram que o homem invadiu a residência da vítima, danificou o vidro de um veículo e esfaqueou a ex-companheira, além de atingir o pai dela e um tio.

O suspeito também manteve o ex-sogro como refém. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado e conseguiu deter o autônomo. Com ele, foram apreendidas duas facas.

As vítimas foram socorridas aos hospitais Luzia de Pinho Melo e Santa Casa de Mogi das Cruzes, onde permanecem internadas.