O trabalho de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica será intensificado em Mogi das Cruzes, com a atuação conjunta entre a Prefeitura, por meio da Patrulha Maria da Penha da Guarda Municipal, e a Delegacia de Defesa da Mulher. O assunto foi tema de uma reunião, nesta terça-feira (16), entre o secretário municipal de Segurança, André Ikari, e a delegada responsável pela DDM, Luciana Amat.

“O trabalho integrado entre a Patrulha Maria da Penha e a Delegacia de Defesa da Mulher é importante para combater a violência doméstica, dar acolhimento e segurança às vítimas. Com a pandemia, este trabalho se torna essencial, uma vez que as famílias estão mais tempo em suas casas o que, muitas vezes, pode proporcionar mais proximidade entre o agressor e a vítima”, afirmou o secretário municipal de Segurança.

O coordenador da Guarda Municipal, Lenivaldo Castro e os agentes que fazem parte da Patrulha também participaram da reunião, que aconteceu na sede da DDM, no Parque Monte Líbano.

A Patrulha Maria da Penha da Guarda Municipal de Mogi das Cruzes oferece acompanhamento preventivo e periódico, para garantir proteção às mulheres em situação de violência que possuem medidas protetivas de urgência expedidas com base na Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006). 

A corporação mantém um trabalho intenso de combate à violência contra a mulher. Atualmente, 724 vítimas com medidas protetivas determinadas pela Justiça recebem o acompanhamento da Patrulha Maria da Penha. Somente neste ano, cinco agressores já foram presos pelo serviço.

A Guarda Municipal atende a população pelo telefone 153, que funciona 24 horas por dia.