Entrar
Perfil
CRIME AMBIENTAL

Guarda de Mogi apreende dois balões: um caiu perto do Casarão do Chá, no Cocuera

Guardas municipais das patrulhas Ambiental e Rural flagraram os balões no Parque das Varinhas e no Cocuera na manhã de domingo

Eliane José
04/07/2022 às 14:21.
Atualizado em 04/07/2022 às 16:01

Bonito de se ver, os balões costumam deixar um rastro de destruição (Divulgação/GCM)

Com as condições meteorológicas favoráveis durante os meses do inverno, a soltura de balões segue mobilizando a fiscalização na região do Alto Tietê. Além da prisão de dois suspeitos, em Biritiba Mirim, no último final de semana, uma operação conjunta da Guarda Municipal de Mogi das Cruzes apreendeu dois balões de grande porte, que caíram no Parque das Varinhas e em Cocuera.

Os guardas das patrulhas Ambiental, Rural e de apoio foram reunidos durante a operação após o início do monitoramento do céu da cidade a partir das primeiras horas da manhã de domingo (3), quando a passagem dos balões começou a chamar a atenção.

Os restos dos balões foram apreendidos por agentes da Guarda Civil Metropolitana de Mogi (Divulgação/GCM)

Segundo apurou O Diário, o comandante da Patrulha Ambiental, Pedro Cassese, e  o agente Keller Coutinho começaram a monitorar a movimentação por volta das 7h45 e mobilizaram outros agentes e viaturas (Adriano Santos, Bernal e Ribeiro, da Patrulha Rural, e Nilton Nico e Andreotti, do patrulhamento de rua) para encontrar o ponto de queda dos equipamentos soltos tradicionalmente em regiões da Zona Leste de São Paulo. 

A maioria sobrevoava em direção ao bairro do Pindorama e Biritiba Mirim. Dois dos balões foram flagrados pelo grupo de agentes, que encaminhou os relatos e os materiais apreendidos para a Polícia Civil.

O primeiro deles, ainda com as chamas acesas, foi apreendido na rua Ricieri Bertaiolli Júnior, próximo ao número 245, no Parque das Varinhas. Os homens que estavam na corrida pelos restos do equipamento - usados como uma espécie de prêmio pelos 'caçadores' de balão, que se unem a grupos participantes da busca pelos destroços recuperados após a queda, não foram flagrados porque fugiram, ao ver a chegada das viaturas da Guarda de Mogi das Cruzes.

No segundo registro, o apetrecho pousou em um terreno nas proximidades do simbólico prédio do Casarão do Chá, localizado no bairro do Cocuera, tombado como patrimônio histórico nacional e exemplo de restauração de um bem de interesse para a preservação. O balão aterrissou em uma região onde o eucalipto é cultivado.

Na manhã de domingo, outros balões foram monitorados por autoridades da região de Mogi das Cruzes. Em Biritiba Mirim, dois homens acabaram detidos (leia reportagem).

A identificação do bairro onde o balão pode ter sido fabricado foi entregue pelos agentes municipais à Polícia (Divulgação/GCM)

Nos dois casos ocorridos em bairros de Mogi das Cruzes, não houve detenções, e nem dano ao patrônio público, o que é creditado ao monitoramento da Guarda Municipal.

Os agentes apreenderam os materiais - em um dos balões havia um símbolo, indicando o bairro de Itaquera, como sendo o ponto de origem da confecção da peça que pode encantar pela beleza, mas carrega um símbolo de destruição porque, ao cair, pode provocar acidentes - quando pousa sobre casas ou outras construções - ou incêndios, ainda mais neste período do ano, marcado pela forte seca e a facilidade de propagação do fogo.

O material será encaminhado à Polícia para ajudar nas investigações do crime. 

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por