MENU
BUSCAR
Tragédia

Crianças mortas em incêndio em Poá eram irmãos adotivos; pais prestam depoimento na delegacia

Polícia trabalha com todas as possibilidades, mas até o momento a suspeita não recai sobre ninguém.

Natan Lira e Larissa RodriguesPublicado em 17/02/2021 às 12:01Atualizado em 17/02/2021 às 20:02
Leandro e Ricardo com os filhos Lorenzo, Fernanda e Gabriel / Reprodução - Facebook
Leandro e Ricardo com os filhos Lorenzo, Fernanda e Gabriel / Reprodução - Facebook

As três crianças que morreram na manhã desta quarta-feira (17), em um incêndio em Poá, eram Fernanda, 14 anos, Gabriel, 9, e Lorenzo, 2, adotados anos atrás por Ricardo e Leandro José Reis de Faria e Vieira. Eles já não estariam mais juntos, como um casal, e os filhos estavam na casa de Ricardo quando foram carbonizados.

Responsável pelo caso, o delegado Delegado Eliardo Jordão, do DP de Poá, explicou que Ricardo estava dormindo em sua casa, na Rua Fernando Pinheiro Franco, na Vila Real, quando acordou por conta da fumaça. Ele tentou ir até o quarto onde as crianças dormiam, mas não conseguiu entrar. Por isso, foi até a unidade da Polícia Civil para pedir ajuda.

Ao chegarem à residência, os policiais arrombaram a porta, mas não conseguiram entrar por conta do fogo. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados e ajudaram na localização dos três corpos.

"O trabalho pericial está sendo feito, o Ricardo dá essa versão e a gente ainda está na pendência para confirmar alguns detalhes. Confirmando isso, ou não, a gente consegue dar uma prévia, algum direcionamento. Neste momento a gente trabalha com todas as possibilidades, não descarta nada. Mas até agora, a suspeita não recai sobre ninguém", afirmou o delegado.

Além de Ricardo, Leandro também está na delegacia para ser ouvido. Jordão revelou ainda que uma há uma testemunha para ser ouvida, o que pode esclarecer alguns detalhes que ainda estão sob análise. Outra perícia também será realizada.

ÚLTIMAS DE Polícia