Entrar
Perfil
AGILIDADE

B.O. Unificado ajudará a ampliar o número de policiais nas ruas da cidade

Programa lançado em Mogi pelo secretário de Segurança Pública, João Camilo Pires de Campos, agilizará o tempo de registro das ocorrências e promete acabar com o retrabalho das instituições

Silvia Chimello
07/06/2022 às 20:35.
Atualizado em 08/06/2022 às 11:01

Secretário João Camilo Pires de Campos veio à Mogi para lançar novo programa da SSP (Silvia Chimello)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
AGILIDADE

B.O. Unificado ajudará a ampliar o número de policiais nas ruas da cidade

Programa lançado em Mogi pelo secretário de Segurança Pública, João Camilo Pires de Campos, agilizará o tempo de registro das ocorrências e promete acabar com o retrabalho das instituições

Silvia Chimello
07/06/2022 às 20:35.
Atualizado em 08/06/2022 às 11:01

Secretário João Camilo Pires de Campos veio à Mogi para lançar novo programa da SSP (Silvia Chimello)

O secretário de Estado da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, veio a Mogi na tarde desta terça-feira (7) para o lançamento oficial do Boletim de Ocorrência Unificado, que deve ser implementado no município até o dia 20 deste mês. Com o uso da tecnologia, esse sistema, segundo ele, vai agilizar o trabalho dos agentes e possibilitar um número maior de efetivo nas ruas para intensificar o patrulhamento e ampliar a sensação de segurança da população.

O evento para lançamento do novo modelo na cidade foi realizado no auditório da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), com a presença dos comandantes das polícias Civil e Militar, delegados e políciais, que receberam as informações para entender como vai funcionar o sistema unificado de ocorrência digital.

Representantes das policia civil e militar participaram do evento no anfiteatro da UMC (Silvia Chimello)

O BO único para as policias Militar e Civil acabará também com o retrabalho das instituições. De acordo com o programa, um registro feito por um agente na rua será o mesmo usado pelo delegado do distrito. Na maioria dos casos, o policial não vai mais precisar conduzir as pessoas envolvidas em uma ocorrência para a delegacia. Após a inserção das informações no sistema, elas serão encaminhadas à Delegacia Eletrônica e na sequência, ao distrito policial, responsável pela investigação do caso.

Em situações mais graves, como casos flagrantes, em que os envolvidos precisam ser levados ao distrito, o BO único também reduzirá o retrabalho da Polícia Civil, porque as informações levantadas pelos policiais no local serão disponibilizadas ao delegado no sistema quando as partes forem apresentadas. A medida tende a desafogar o fluxo de pessoas nos DPs, que muitas vezes esperam por horas para registrar a ocorrência. O tempo médio de um registro de flagrante, que atualmente é de cerca de duas horas e meia será reduzido para uma hora.

De acordo com o secretário, esse projeto inova e contribui para reduzir os índices de criminalidade. “Imagina que vamos passar a ter o policial militar representando um BO em uma delegacia e voltando mais rapidamente para o trabalho. Isso vai dar agilidade e o ganho de tempo permitirá mais policiais nas ruas. Além de tudo isso, o BO Único é a ponta de um sistema todo chamado de Sistema de Polícia Judiciária (SPJ). Esse modelo integrado vai contribuir muito no evento colhido até o final do processo de investigação, onde tecnologicamente de maneira sistêmica a gente consegue fechar o caso. É a tecnologia ajudando a Segurança Pública”, argumenta.

O novo sistema que vem sendo implementado no Estado, com investimento de R$ 60 milhões, permitirá, segundo secretário, um procedimento de integração das polícias, celeridade na avaliação dos crimes e posterior instauração de inquéritos.

As complementações e alterações posteriores serão feitas no próprio documento e, assim, mas fácil para o controle de estatísticas. O sistema permitirá um novo procedimento de integração das polícias, permitindo maior agilidade na avaliação dos crimes e posterior instauração de inquéritos.

Ele observa, no entanto, que a eficácia vai depende também da internet, sendo que algumas áreas com problemas de sinais de internet, o procedimento será mantido da mesma como é hoje. A PM registra boletim próprio no local e leva as partes para o distrito policial onde registra um novo BO.

Com o anúncio do BO Unificado em Mogi, a última cidade da Grande São Paulo onde o sistema foi lançado, o general disse que a partir de agora o programa vai ser implementado nos municípios do interior do Estado.

Criminalidade

Sobre aumento dos índices de roubos, furtos e crimes patrimoniais registrados em 2022 em comparação ao ano passado, o secretário alega que é preciso analisar os números “com cuidado” e levar em consideração algumas questões, como a situação da pandemia, que durante dois anos promoveu o distanciamento social e fez com que as pessoas ficassem mais em casa.

“Realmente há um aumento dos casos neste ano em comparação com 2021 e com relação a 2020, mas estamos abaixo do ano de 2019. Por que isso é importante? Porque 2022 é parecido com o ano de 2019, e não com o ano de 2021 e muito menos com o ano de 2020. Então, a gente tem que tomar muito cuidado ao fazer a análise desses índices”, ponderou o general, destacando ainda que o São Paulo é um dos estados mais seguros do País.

Apesar de argumentar que o BO Unificado vai contribuir com o aumemto de efetivo nas ruas, a população e lideraças da cidade reclamam do deficit de efetivo para atender toda a demanda e, mesmo com os concursos públicos, o número de agentes encaminhados para a cidade é reduzido. Porém, o general disse que tudo é feito dentro de uma distribuição normal para um estado com 641 municípios e 46 milhões de habitantes. “Tenho certeza que a distribuição é feita de acordo com uma matriz de necessidade de eventos criminais e tudo tem um caráter técnico”, disse.

DDM

O novo Sistema de Polícia Judiciária envolve também o atendimento da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de forma eletrônica. Com a ampliação da tecnologia no trabalho da Polícia, serão instaladas nas Centrais de Policia, salas reservadas para as vitimas de abusos e violência doméstica, que quando chegarem para registrar ocorrência serão encaminhadas para uma sala especial e atendimento por uma delegada, que poderão solicitadas medidas de proteção imediatamente à Justiça. 

 “A pessoa que sofreu a agressão é já registra a ocorrência na hora. A pessoa tira uma foto da agressão e encaminha para a delegada. Isso tem dado muito certo”, enfatiza. Ele disse que o serviço já foi implentado em diversos municípios e, em Mogi, em breve também vai poder contar com esse tipo de serviço.

Câmeras

Outro tema abordado pelo general foi a instalação das câmeras de filmagens nas fardas dos policiais militares, um projeto implementado nesta gestão dele à frente da SSP, que segundo ele vem apresentando resultados positivos. O general acredita que a prática deve ser mantida pelo futuro governador, especialmente se o eleitor for o atual chefe de Estado, Rodrigo Garcia. “Estamos tendo resultados fantásticos, porque protege os policiais e dá transparência ao processo”, reforçou.

  

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por