Entrar
Perfil
FURTO

Após passeio no Parque Centenário, mogiana encontra o carro invadido no estacionamento do local

Quando saiu do parque, Camila Quartim encontrou o carro invadido, com o volante travado e sem o rádio, carregador e suporte de celular; a Guarda Municipal estava no local, cujo estacionamento tem uma câmera de vigilância quebrada

Heitor Herruso
26/06/2022 às 16:44.
Atualizado em 27/06/2022 às 15:46

"Sempre gostei de caminhar lá no final de semana, hoje tinha tudo para ser um dia tranquilo e feliz, caminhada, foto do lago e reflexões, mas na hora de ir embora a tristeza de sentir que somos vulneráveis e não temos o que fazer", escreveu Camila Quartim na legenda desta foto, nas redes sociais (Divulgação - Camila Quartim)

A mogiana Camila Quartim decidiu que, neste sábado (25), merecia uma manhã reflexiva e relaxante. Por isso, dirigiu até o Parque Centenário, na avenida Francisco Rodrigues Filho, em Mogi das Cruzes, onde caminhou por aproximadamente uma hora. Ela também contemplou o lago, tirou fotos e respirou o ar puro do local. Mas quando saiu, ficou triste e indignada ao constatar que teve o carro invadido e furtado ali mesmo, no estacionamento.

“Caminhei no parque por cerca de uma hora, e quando fui embora, por volta das 11h30, a porta do carro estava diferente para abrir, travando um pouco. Quando vi dentro do carro, percebi que estava todo bagunçado, com fios arrancados. O local que ficava o rádio todo amassado e todos os itens que eram de utilidade eletrônica foram levados. O volante estava travado, indicando que tentaram quebrar e não conseguiram”, conta ela a O Diário.

Entre os prejuízos estão o rádio do veículo, o carregador e o suporte para celular, além de um pen drive. Segundo Camila, houve tentativa de ligar o carro, mas o procedimento não deu certo.

Quando percebeu a situação, ela pediu a uma outra mulher, que estava entrando no parque, para avisar a portaria do local. “O senhor que fica na entrada do parque veio e em seguida chamou o guarda municipal que estava no carro logo a frente. Atenciosos, conversaram comigo e o segurança relatou que a câmera estava quebrada e não colocaram outra, então não dava para ver a imagem. Também disse que não consegue diferenciar a ação do dono do carro e a dos criminosos devido às habilidades dos criminosos”, afirma Camila.

Abalada, ela não conseguiu ligar o veículo, que estava com o volante travado. Um agente da guarda municipal a ajudou com isso, até que a família de Camila chegasse ao local.

Ela afirma não ter registrado um boletim de ocorrência. Ao invés disso, preferiu postar “nas redes sociais como uma forma de alerta, pois muitas famílias frequentam o local, levam crianças para brincar e muitas vezes eventos e um momento feliz, podem se tornar um momento triste pela falta de segurança no local”.

No entanto, mais do que um alerta, à reportagem de O Diário ela fez uma crítica . “O ideal seria que as câmeras estivessem instaladas e funcionando com um monitoramento da circulação do parque, além de ter um número maior de guardas circulando em dias com maiores movimentos. Isso poderia inibir as ações dos bandidos”.

Já nas redes sociais, Camila escreveu que “depois que o choro passa você pensa ‘dos males o menor’, mas a tristeza de quando tiram da gente algo é sempre revoltante”. Ela também reclamou sobre os comentários que tentam culpar a vítima, como “onde você parou o carro?”, e cravou que “normalizar o crime é  triste sempre”.

Como o furto descrito por Camila ocorreu em um parque público, com a presença da Guarda Civil Municipal e também a denúncia sobre uma câmera de vigilância quebrada e não substituída, a reportagem de O Diário entrou em contato com a Prefeitura de Mogi, ainda durante a manhã.

"A Secretaria Municipal de Segurança informa que não há câmera de monitoramento no Parque Centenário. Está em andamento um processo licitatório para a aquisição de novas câmeras, que serão distribuídas por toda cidade, inclusive nos parques", esclareceu a pasta.

Além de detalhes gerais sobre a ocorrência, este jornal pediu informações sobre o esquema de segurança no Parque Centenário, a quantidade de agentes municipais que atuam no local, o número de câmeras de segurança disponíveis no endereço e a possibilidade de reforço na vigilância.

"A segurança no Parque Centenário é realizada pela Guarda Municipal, com agentes que realizam rondas no local e reforço de efetivo nos dias de maior movimentação de pessoas. Por questões de segurança e estratégia operacional, os números relativos ao trabalho não são divulgados. Em casos de urgência e emergência, os frequentadores podem contatar a Guarda Municipal diretamente no Parque Centenário ou pelo telefone 153", ressaltou a prefeitura em nota.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por