CASO

Polícia identifica os corpos encontrados em cova de Jundiapeba

O casal encontrado morto em uma cova num matagal em Jundiapeba, no último dia 1ª de setembro, foi identificado pelo delegado titular Rubens José Angelo e a sua equipe do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), de Mogi das Cruzes. Os corpos que já estavam em decomposição são do ajudante de pedreiro Gabriel Silva da Conceição, de 23 anos, reconhecido por familiares pelas suas tatuagens – uma delas com o nome “Juliana” -, e o da companheira dele, Juliana Cristina dos Santos, de 24 anos.

“Descobrimos os nomes das vítimas, mas é necessário aguardar os exames de DNA feitos pelo IML de São Paulo para a confirmação das identidades”, disse a O Diário, nesta segunda-feira, o delegado Rubens Angelo.

Segundo foi apurado até a tarde de ontem pelos investigadores Luciana e Francisco, do SHPP, Gabriel e a mulher estavam desaparecidos desde 10 de agosto. A mãe do jovem, Marcleide da Silva, informou à Polícia Civil ao comunicar o sumiço do filho e o de Juliana que oito homens chegaram na casa deles e os levaram embora em dois carros.

Para o delegado Rubens Angelo, “o casal foi morto a golpes de enxada, principalmente em suas cabeças, que apresentavam profundos ferimentos”.

As buscas que visam localizar os assassinos ainda estão em andamento. Em desfavor de Gabriel já havia duas queixas: de estupro de uma menina, de 5 anos, em 2 de agosto último, e de um roubo, em 17 de setembro de 2015, também cometido em Guarulhos.


Deixe seu comentário