Entrar
Perfil
EDITORIAL

Saúde continua no foco das atenções

É uma boa notícia a contenção dos casos de Covid e a possibilidade de se reativar o Hospital Municipal para a assistência a outros tipos de demandas de adultos e crianças.

O Diário
04/05/2022 às 07:36.
Atualizado em 04/05/2022 às 07:36

Além da retomada do atendimento no Hospital de Braz Cubas, cidade deverá ganhar uma maternidade (Divulgação/PMMC)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
EDITORIAL

Saúde continua no foco das atenções

É uma boa notícia a contenção dos casos de Covid e a possibilidade de se reativar o Hospital Municipal para a assistência a outros tipos de demandas de adultos e crianças.

O Diário
04/05/2022 às 07:36.
Atualizado em 04/05/2022 às 07:36

Além da retomada do atendimento no Hospital de Braz Cubas, cidade deverá ganhar uma maternidade (Divulgação/PMMC)

Mais de dois anos após o início da pandemia, o Hospital Municipal Waldemar Costa Filho, em Braz Cubas, começa a redirecionar o atendimento à sua programação inicial: cirurgias eletivas, consultas e exames, e o atendimento infantil. Desde o início desta semana, a abertura o serviço às crianças de zero a 12 anos deverá realinhar  um setor que ficou extremamente fragilizado durantes os últimos meses: as doenças, em crianças, podem evoluir muito rapidamente para quadrados graves. Por isso mesmo, os pais e responsáveis sabem como os sinais como moleza ou febre não podem ser desconsiderados.

A espera durante horas em filas e a superlotação do Pró-Criança passou a significar, com razão, um ponto de extrema preocupação e revolta popular - só um pai ou mãe nessa situação entende o desespero vivido dentro de uma ou duas horas, em uma cadeira com uma bebê no colo, ou uma criança com um pouco mais de idade.
É uma boa notícia a contenção dos casos de Covid e a possibilidade de se reativar o Hospital Municipal para a assistência a outros tipos de demandas de adultos e crianças.
A espera por uma cirurgia não tratada como uma urgência é o pior do que se pode viver. O sujeito fica em constante estado de alerta: Estou melhor? Estou piorando? Terei uma sequela maior? Os exames do pré-operatórios trarão os mesmos resultados?  Esse ambiente de incerteza gera preocupações que pioram o estado emocional e o quadro de saúde de um paciente.
 A Prefeitura afirma que estão sendo agendadas essas cirurgias. Por mais que existissem, antes da pandemia, listas de espera por esses procedimentos, esse cadastro caducou porque pessoas mudaram, novos moradores chegaram à cidade. Saber exatamente qual é a demanda hoje por um médico é uma incógnita. Há muitas pessoas nesse universo. 
Tratamentos foram interrompidos durante os meses quando sair de casa era desaconselhado. 
Para mensusar esse desfalque no atendimento público, basta acompanhar grupos em redes sociais focados no cotidiano de Mogi das Cruzes para observar a saraivada de comentários que aparecem com os relatos de quem já perdeu a conta do tempo de espera por um agendamento com um cirurgião.
Outras expectativas criadas são para o início de operação de obras praticamente entregues, caso da maternidade infantil, ao lado do Hospital Municipal. Nesse serviço, a Prefeitura projeta redesenhar o objetivo inicial  para atender demandas que o Hospital Luzia de Pinho Melo não consegue cumprir. Para isso, no entanto, o prefeito Caio Cunha já disse que vai precisar de ajuda do governo do Estado.  Mesmo com o recuo da covid-19, o que era algo tão esperado,  os próximos tempos continuaráo tendo como foco os resultados e as medidas adotadas na área da saúde.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
Copyright © - 2022 - O Diário de MogiÉ proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuído por