MENU
BUSCAR
EDITORIAL

Mogi Shopping: 30 anos sendo território de convívio, encontro e crescimento pessoal

Assim como na siderurgia (Mineração Geral do Brasil), na educação (UMC e Braz Cubas), o Mogi Shopping marca a expansão socioeconômica da cidade

O Diário Publicado em 19/11/2021 às 14:47Atualizado há 10 dias
Mogi Shopping completa 30 anos  / Divulgação - Mogi Shopping
Mogi Shopping completa 30 anos / Divulgação - Mogi Shopping

O primeiro shopping center da região do Alto Tietê completa hoje 30 anos de funcionamento. Foi escolhido o nome da cidade-sede, Mogi, para o empreendimento construído pelo empresário Carlos Jafet Júnior, da família que colocou a cidade na história da siderurgia brasileira. Quando o shopping foi inaugurado, o município possuía 380 mil habitantes. Hoje, são quase 100 mil moraores a mais e a projeção de expansão populacional e negócios sustenta apostas, inclusive, sobre  a chegada de um segundo centro de compras desse mesmo setor - porém, com perfil diferenciado.

A pandemia desacelerou planos, mas não contém a pressão por moradia e emprego exercida pela Região Metropolitana de São Paulo que fez Mogi das Cruzes se tornar o que é hoje - um organismo urbano com potência econômica para receber mais investimentos e atrair as bandeiras do mercado de consumo de todos os padrões, inclusive o de luxo, que está na mira no Mogi Shopping. 

Para a festa de aniversário, não por acaso, o empreendimento anunciou a chegada, em 2022, do primeiro Outback Steakhouse do Alto Tietê, restaurante conhecido por cortes de carne nobre.

O shopping celebra a data com obras e um portfólio sustentável de marcas e serviços. É patrimônio empresarial sustentado pelos números de circulação de pessoas, gasto per capita e de geração de empregos, impostos e negócios. 

São mantidos, ali, cerca de 3 mil empregos diretos e indiretos, o que se configura como um dos maiores mercados de trabalho da cidade.

Com gestão da HBR Realty, empresa de Mogi das Cruzes mantida pela família Borenstein, deve-se ao shopping o desenvolvimento imobiliário do entorno de seu endereço com a chegada de torres residenciais e comerciais no Socorro e Nova Mogilar.

Quando foi construído, a terra era limpa à direita da avenida Vereador Narciso Yague Guimarães.

Assim como ocorreu com a siderurgia (Mineração Geral do Brasil-Cosim), a educação (UMC e Braz Cubas) e a agricultura, o Mogi Shopping marca a expansão socioeconõmica da cidade e do Alto Tietê.

Essa linha divisória social nutre campanha publicitária que acerta a mão ao convidar frequentadores, trabalhadores, consumidores e lojistas a contar casos e experiências vividas no endereço ao longo desses 30 anos. Shopping é um território de convívio, encontro e crescimento pessoal. 

Na memória afetiva do mogiano haverá algo em comum. A primeira vez que se viu o Papai Noel descer de helicóptero no estacionamento. O dia de levar o filho, neto ou sobrinho à première de cinema. O primeiro emprego ou loja. Um show de Roberto Carlos, Titãs ou Danilo Caymmi. O lançamento de um livro. Um pedido de namoro, e por aí vai. O shopping faz parte da vida da cidade.  Parabéns, Mogi Shopping!

ÚLTIMAS DE Editorial