Entrar
Perfil
EDITORIAL

Acidente de trabalho

Acidentes de trabalho na construção civil aumentaram no região em 2021: casos provocam danos pessoais e sociais gravíssimos e devem ser combatidos, fiscalizados e punidos

O Diário
03/03/2022 às 07:25.
Atualizado em 03/03/2022 às 07:25

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
EDITORIAL

Acidente de trabalho

Acidentes de trabalho na construção civil aumentaram no região em 2021: casos provocam danos pessoais e sociais gravíssimos e devem ser combatidos, fiscalizados e punidos

O Diário
03/03/2022 às 07:25.
Atualizado em 03/03/2022 às 07:25

Componentes das causas da incapacidade laboral e de mortalidade regional, as quedas, fraturas e mortes dentro do ambiente do trabalho cresceram 21% no ano passado no Alto Tietê. Nas cidades da região, segundo dado oficial do Instituto Nacional de Previdência Social (INSS), um acidente foi registrado a cada dois dias durante o período.
Os números ajudam a mensurar os avanços da prevenção aos acidentes, das políticas empresariais e públicas para garantir a segurança ao trabalhador - sobretudo, aos setores mais expostos a riscos como os da área da construção civil, onde se concentram a maior parte dos casos.

A insegurança maior está nos canteiros de obras para a edificação e ampliações de prédios. Porém, também é nesse segmento onde se encaixam setores como o comércio para vendas de equipamentos que se concentrou a maior parte das notificações.

Não há dúvida sobre a necessidade de se concentrar também nesse segmento os esforços de fiscalização e desenvolvimento de ações preventivas como a conscientização sobre o uso de equipamentos de segurança e o cumprimento de normas técnicas para a operação de máquinas.

No mês passado, a ocorrência de um grave acidente no interior de uma fábrica de Braz Cubas - um caso que ainda não foi muito bem explicado, registre-se, trouxe à tona um assunto sensível. Por mais que muitas empresas adotem o conceito da prevenção dos acidentes,  e, isso é uma realidade construídas nas últimas décadas; na prática, o trabalhador é a peça mais frágil e permanece sujeito aos danos provocados pela impunidade e demora dos órgãos de fiscalização na apuração e controle  dessas tragédias pessoais.

Reportagem feita por O Diário realça quanto o assunto é preocupante. Foram registrados em 2021, 172 casos no INSS. No ano anterior, recorte chegou a 141, provocando um aumento de 21% entre os dois anos, o que demonstra ser esse um ranking social e regional terrível.

O trabalhador ferido durante o trabalho tem resguardados seus direitos trabalhistas e previdenciários. O que escapa do cobertor do direito constitucional é muito mais amplo: a demora na recuperação, a queda da renda familiar e o desastre social em dominó provocado por um acidente que pode chegar a sequelas crônicas - o que limitarão o indivíduo não apenas no crescimento profissional, mas na vida familiar e social.

Acidentes como o acontecido em Mogi das Cruzes serve de bússola para o presente e o futuro. Um acidente a cada dois dias é média a ser considerada para uma atuação mais forte das entidades que representam trabalhadores e empregadores de projetos pública e privadas. A Câmara Brasileira da Indústira da Construção emplacou 2021 como um dos melhores em 10 anos: ou seja, as vendas foram maiores porque mais projetos foram executados em todo o país (e, isso, durante a pandemia). A mesma velocidade das obras deve ser desenvolvida na proteção à vida nesses ambienes e prevenção dos acidentes incapacitantes. 

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por