MENU
BUSCAR
ARTIGO

Brasil, o país das delações e traidores

"Os termos mais utilizados no Brasil são os seguintes: corrupção, roubos, furtos, oportunismos, desorganização, busca de vantagens e de poder"

Olavo Câmara ArrudaPublicado em 09/09/2021 às 06:32Atualizado há 19 dias

As lideranças brasileiras, em sua maior parte, não aprenderam e continuam seguindo o traidor dos inconfidentes, Joaquim Silvério dos Reis. A todo instante vem notícias de delações premiadas e políticos e empresários denunciando uns aos outros e para os tribunais. 

Os maiores e piores traidores são aqueles que venderam os cofres da nação. Este é o país dos traídos e traidores, ou dos “dedos duros” ou ainda das delações. Que vergonha!

 Os delatores recebem prêmios, diminuição da pena para entregar os colegas corruptos. A vergonha e o caráter desapareceram. Agem como atores de cinema e são especialistas em mentiras. 

Os traídos e traidores estão de mãos dadas como se fossem casais que se amam. É o casamento do desamor e dos interesses. Estes delatores deixam Joaquim Silvério dos Reis, aquele que delatou a inconfidência mineira e o Tiradentes, com inveja. “Eu conto tudo o que sei e do que participei”, mas, por favor, não me condene e não me obrigue a devolver todo o dinheiro que recebi de propinas e produto da corrupção. 

Os termos mais utilizado no Brasil são: “corrupção, roubos, furtos, oportunismos, desorganização, busca de vantagens e poder”. 

A podridão tomou conta do Brasil. Caso boa parte dos tribunais e dos Juízes agissem com muita seriedade o Brasil teria milhões de condenados. Aí seria necessário 10 milhões de novas vagas nos presídios. 

Há algumas décadas o maior ditador da América Central, Haiti, Senhor François Duvalier, o Papa Doc, quando o derrubaram do poder se exilou na França levando o cofre daquele país. Os traidores e corruptos do Brasil não são patriotas nem cidadãos que poderiam abraçar o povo com seriedade. Caso houvesse seriedade todos os corruptos que levaram embora bilhões desta nação, deveriam trabalhar em lavouras para o seu próprio sustento e condenados no mínimo por trinta anos. Mas as leis e os códigos brasileiros para estas questões são muito frágeis porque há comprometimentos tantos dos corruptos quanto de certas autoridades.

 Há políticos que envenenam a alma dos brasileiros. A insegurança é quase total. A sociedade perdeu a ética e há uma profunda crise de valores. A consciência é o desenvolvimento, mas não há estes valores. Eis o desafio. Como eliminar os traidores e condenar todos os corruptos sem benefícios? Cidadãos Patriotas brasileiros amem esta nação. 

Olavo Câmara Arruda é advogado, professor, mestre e doutor em Direito e Política.

ÚLTIMAS DE Colunistas