A Campanha de Vacinação Nacional contra a Gripe será iniciada no próximo dia 12 de abril e deverá atender 170 mil mogianos em três fases distintas para a aplicação da dose única. O objetivo do Ministério da Saúde é reduzir as aglomerações em postos e serviços de saúde porque a imunização coincide com a aplicação da vacina contra a Covid-19. Não há, no entanto, informações sobre como esse processo se dará em Mogi das Cruzes porque a cidade depende do calendário estipulado pelo Governo do Estado.

De acordo com o Ministério da Saúde, na primeira fase, são atendidos os maiores de 60 anos ou mais e os profissionais da saúde. Depois, será a vez dos portadores de doenças crônicas não transmissíveis, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e portuários, professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, pessoas com doenças crônicas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas,população privada de liberdade e povos indígenas.

Na terceira fase serão imunizadas crianças de seis meses a seis anos, grávidas, mães no pós-parto, pessoas com deficiência, professores de escolas públicas e privadas e pessoas de 55 a 59 anos de idade.

Pandemia

A vacina é gratuita. E se torna ainda mais importante neste ano porque a gripe é uma doença que provoca o aumento de internações na rede hospitalar entre os meses do outono e inverno. A expectativa é ampliar a cobertura vacinal para diminuir a pressão por leitos hospitalar, alta na atualidade por causa da aceleração dos casos de Covid-19.

A Secretaria Municipal de Saúde ainda não possui detalhes da vacinação como quais e quantos postos de saúde vão aplicar as doses. De acordo com a Coordenadoria de Imprensa, a pasta espera as orientações do Governo do Estado. Somente a partir daí, as definições e informações começarão a ser divulgadas ao público.

No ano passado, as doses foram recebidas aos poucos e a cidade não conseguiu chegar aos 100% da população que tinha direito à vacina.

Ate julho de 2020, mais de 161 mil pessoas haviam sido vacinadas contra a gripe – ao contrário de anos anteriores, houve uma cobertura vacinal mais significativa, o que foi creditado à pandemia. Como a gripe costuma sobrecarregar os serviços de saúde, a prevenção foi mais procurada.

A gripe é uma infecção viral respiratória provocada pelas variantes do vírus influenza. Por isso, todos os anos, novas vacinas são administradas para conter o avanço dos casos.

No ano passado, as doses da vacina foram constituídas por três cepas do vírus Influenza: A/Brisbane/02/2018 (H1N1)pdm09; A/South Austrália/34/2019 (H3N2); e B/Washington/02/2019 (linhagem B/Victoria). A vacina da gripe não protege contra o novo coronavírus.

LEIA TAMBÉM: Vacinação para idosos de 69 anos ou mais contra o novo coronavírus continua em Mogi