Praticamente um veículo foi roubado por dia em Mogi das Cruzes no mês passado. Em outubro último, foram registrados 29 boletins de ocorrência deste delito nas quatro delegacias de Polícia do município. Por pouco, esse índice não se iguala ao notificado em setembro, que bateu o recorde neste ano, com 30 casos. Até então, a cidade vinha apresentando queda neste crime. Os dados resultam em uma média mensal de 18 roubos do tipo.  

Leia também: CEI da Corrupção convoca empresários e secretários para explicar contratos da Saúde

De janeiro a outubro deste ano, ao menos 182 carros, motos e caminhões já foram roubados dentro do limite de Mogi – número inferior ao registrado no mesmo período de 2019, quando a somatória do delito era de 214. As informações integram o novo balanço da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), divulgado na tarde desta quarta-feira (25). Dados completos podem ser conferidos no site da pasta

Outros 53 carros e motos foram furtados em Mogi no mês passado, ante 37 em setembro. Apesar desta alta, houve porém queda de 43% na comparação com os dados de outubro de 2019, quando 76 veículos foram furtados na cidade.

Cabe destacar que a quarentena decretada em todo o Estado foi um dos fatores que contribuiu para a redução no acumulado deste ano. 

Outro delito que apresentou alta entre setembro e outubro deste ano foi o de lesão corporal dolosa, que passou de 78 para 80.

Mogi registrou ainda o primeiro e único latrocínio do ano - homicídio com objetivo de roubo, ou roubo seguido de morte.

Também no caminho negativo, os furtos gerais registrados em Mogi das Cruzes cresceram de 216 para 252 nos últimos dois meses, ou seja, um aumento de 16,6%. 

Em paralelo, o número de estupros registrados nos distritos policiais de Mogi em outubro caiu 18% na comparação com o mês anterior, de 11 para nove. Entre as vítimas, oito eram vulneráveis – ou seja, crianças, pessoas com deficiência ou incapazes de se defender. Também houve alta de 10% na comparação com outubro de 2019.

Desde o começo do ano, Mogi das Cruzes registrou 88 estupros, sendo a maioria (69) referente a vulneráveis. No mesmo período do ano passado foram 110 registros deste crime em toda a cidade– apontando queda no acumulado.

Já o número de homicídios dolosos - quando há intenção de matar – se manteve em três, em setembro e outubro. No mesmo mês do ano passado foram dois.

Os roubos gerais também caíram, de 80 em setembro deste ano, para 73 nos 30 dias seguintes, enquanto os roubos de cargas se mantiveram em um em ambos os períodos, de acordo com dados fornecidos pela SSP.

Em outubro último, as delegacias de Mogi das Cruzes não registraram homicídio doloso por acidente de trânsito ou roubo a banco.

 

Panorama estadual

O Estado de São Paulo terminou o mês de outubro com redução nos indicadores de homicídios, estupros e em todas as modalidades de furtos. Os roubos em geral, de veículos e de carga também diminuíram e o indicador de extorsão mediante sequestro permaneceu zerado.

Os indicadores relacionados a mortes intencionais apresentaram 4,3% de queda de casos e 2,3% de vítimas. O primeiro passou de 253 para 242 na comparação dos meses de outubro de 2019 e 2020 – 11 a menos. O segundo passou de 261 para 255 (seis a menos). Os dois totais são os menores da série histórica, iniciada no ano de 2001.