Próximo às 11h30 de hoje (15), uma mulher foi flagrada tirando uma foto da urna no momento do voto na escola Sueli Oliveira Souza Martins, no Parque Morumbi. A ação é considerada um crime eleitoral e, por isso, ela foi encaminhada à Central de Flagrantes de Mogi das Cruzes, que funciona no 1º DP da cidade.

Um fiscal percebeu o momento em que a mulher tirou a foto e, na sequência, entrou em contato com o juiz eleitoral. A orientação foi para que a Polícia Militar fosse acionada, o que aconteceu. Na delegacia, ela terá de prestar esclarecimentos e o delegado responsável decidirá o que vai acontecer com a eleitora. O caso aconteceu na seção 188.

Não é permitido entrar na cabine de votação com celulares, máquinas fotográficas, filmadoras ou outro equipamento eletrônico. O uso destes itens pode comprometer o sigilo do voto. O Código Eleitoral determina que é crime eleitoral “violar ou tentar violar o sigilo do voto”, e a pena pode chegar a até dois anos de prisão.