Entrar
Perfil
DE SAÍDA

Primeira-ministra britânica deixa o cargo na próxima semana

Liz Truss anunciou nesta quinta-feira pedido de demissão

Agência Brasil
20/10/2022 às 14:05.
Atualizado em 20/10/2022 às 14:05

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
DE SAÍDA

Primeira-ministra britânica deixa o cargo na próxima semana

Liz Truss anunciou nesta quinta-feira pedido de demissão

Agência Brasil
20/10/2022 às 14:05.
Atualizado em 20/10/2022 às 14:05

A primeira-ministra britânica, Liz Truss, disse hoje que perdeu a confiança do seu partido e que deverá deixar o cargo na próxima semana. Ela fez um discurso do lado de fora da residência oficial, em Downing Street, Liz Truss se torna a primeira-ministra com o mandato mais curto da história britânica.

Nesta quinta-feira (20), ela informou que está renunciando ao cargo, derrubada por seu programa econômico que abalou os mercados e dividiu o Partido Conservador apenas seis semanas depois de sua nomeação.

Já na quarta-feira (19), a premiê havia dito que era uma "lutadora e não uma desistente". Ela percebeu, no entanto, que não poderia mais cumprir as promessas que lhe renderam a liderança conservadora.

"Por isso, falei com Sua Majestade, o rei, para notificá-lo de que estou renunciando ao cargo de líder do Partido Conservador", afirmou Truss, que estava acompanhada apenas por seu marido, sem a presença de assessores e ministros.

Uma nova eleição de liderança será concluída no próximo dia 28. Entre os que devem concorrer estão o ex-ministro das Finanças Rishi Sunak e a ex-ministra da Defesa Penny Mordaunt.

Jeremy Hunt, o homem encarregado de recuperar as finanças públicas, descartou concorrer.

Membros do partido e parlamentares conservadores devem ter voz na escolha. Uma pesquisa no início desta semana mostrou que a maioria dos membros quer a volta do ex-primeiro-ministro Boris Johnson, que renunciou em julho.

O Reino Unido não deve realizar uma eleição nacional por mais dois anos.

Nomeada em 6 de setembro, Truss foi forçada a demitir seu ministro das Finanças e aliado político mais próximo, Kwasi Kwarteng, e abandonar quase todo o programa econômico, depois que seus planos de grandes cortes de impostos não financiados derrubaram a libra e os títulos britânicos. Os índices de aprovação para ela e o Partido Conservador caíram.

Ontem, ela perdeu o segundo dos quatro ministros mais importantes do governo, enfrentou risos ao tentar defender seu histórico no Parlamento e viu parlamentares discutirem abertamente sobre políticas, aprofundando a sensação de caos em Westminster.

O novo ministro das Finanças, Jeremy Hunt, busca agora cortar bilhões de libras em gastos para tentar tranquilizar os investidores e reconstruir a reputação fiscal do Reino Unido. A economia entra em recessão e a inflação atinge o índice máximo em 40 anos.

Hunt deve entregar novo orçamento em 31 de outubro. O novo primeiro-ministro será escolhido no dia 28 deste mês.

*Com informações da Reuters

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por