O papa Francisco saudou nesta Sexta-feira Santa (2), os moradores de rua ou em dificuldade que estavam sendo vacinados no átrio da Sala Paulo VI, em razão de uma campanha de vacinação para os mais vulneráveis que o Vaticano organizou. Ele também acenou para médicos e enfermeiras, acompanhou o procedimento de preparação das doses da vacina e falou às pessoas que aguardavam a vacinação, que são pessoas acolhidas e acompanhadas por algumas associações romanas.

Até o momento, cerca de 800 moradores de rua foram vacinados no Vaticano com a primeira dose e a previsão é que chegue a 1,2 mil o totalmente imunizados.

O primeiro grupo foi vacinado em 31 de março e eram pessoas alojadas no dormitório das Missionárias da Caridade de San Gregorio al Celio e residentes em outras estruturas romanas.

O Vaticano, que já imunizou todos os seus habitantes e trabalhadores, iniciou uma campanha para vacinar os mais vulneráveis com a compra de doses da vacina Pfizer-BioNTech, fornecida pelo hospital romano Lazzaro Spallanzani.

"Os médicos e profissionais de saúde que vacinarão serão os voluntários que já trabalham permanentemente na clínica Madre di Misericordia, localizada sob a colunata Bernini (na Praça de São Pedro) e os funcionários da Diretoria de Saúde e Higiene do Governo da Cidade do Vaticano e dos voluntários do Instituto de Medicina Solidária e dos Spallanzani de Roma", acrescentou o Vaticano.

Com esta medida, a diretoria de Saúde e Higiene da Cidade do Vaticano reservou quase 10 mil vacinas da farmacêutica Pfizer para sua campanha de vacinação entre seus quase 3 mil funcionários e 800 residentes.