MENU
BUSCAR
SAÚDE

BCG, a vacina contra a tuberculose, completa 100 anos hoje

Imunizante contra a grave doença foi criada na França, em 1921, e deve ser aplicada nos recém-nascidos

O DiárioPublicado em 01/07/2021 às 17:36Atualizado há 1 mês
Divulgação/Mogi-Mater
Divulgação/Mogi-Mater

A vacina BCG está completando 100 anos nesta quinta-feira (1). Famosa por deixar uma marca específica no braço, ela foi criada na França pelos pesquisadores Albert Calmette e CamileGuérin, em 1921 (BCG - Bacilo de Calmette e Guèrin). O imunizante é considerado um símbolo do combate à tuberculose, já que garante proteção em especial nas formas mais graves dessa doença contagiosa que pode infectar os pulmões e, ainda, se disseminar por outros órgãos como ossos, rins e meninges.

A BCG faz parte do Calendário de Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde, e recomenda-se que os bebês a recebam logo após o nascimento. No Hospital e Maternidade Mogi-Mater, em Mogi das Cruzes, segundo a pediatra Sandra Henriques, a vacina é aplicada nos recém-nascidos acima de 2 quilos, antes da alta médica.

“A BCG pode deixar aquela marquinha no braço, que é uma reação normal e esperada, mas a ausência da cicatriz não indica a necessidade de revacinação. Ela é muito segura e essencial para proteger contra a tuberculose", explica a médica.

Sobre a tuberculose

Pessoas saudáveis e infectadas podem não apresentar sintomas e, mesmo assim, transmitirem a bactéria que causa a tuberculose. O contágio se dá de uma pessoa para a outra, através de gotículas de saliva da garganta. Pessoas com o sistema imunológico comprometido têm mais chance de desenvolver a doença, em especial, a forma grave e generalizada.

A vacina BCG não oferece eficácia de 100% na prevenção da tuberculose pulmonar, mas sua aplicação em massa permite a prevenção de formas graves da doença, como a meningite tuberculosa e a tuberculose miliar (forma disseminada).

No Brasil, embora a incidência de tuberculose pulmonar venha aumentando, quase não são mais registradas suas formas graves.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, nos países onde a tuberculose é frequente e a vacina integra o programa de vacinação infantil, previna-se mais de 40 mil casos anuais de meningite tuberculosa. Impacto como este depende de alta cobertura vacinal, razão pela qual é tão importante que toda criança receba a vacina BCG.

Além das crianças, a vacina é indicada para pessoas de qualquer idade que convivam com portadores de hanseníase e estrangeiros, ainda não vacinados, que estejam de mudança para o Brasil.

ÚLTIMAS DE Mundo