INFORMAÇÃO

Mais dicas para o candidato não “enterrar” a campanha (II)

“Estar cheio de likes nas redes sociais nada significa. Afinal, like não é voto”

A coluna continua mostrando as dicas do professor e consultor de Comunicação Política, Marcelo Vitorino, sobre ações que podem, literalmente, “enterrar” uma candidatura a vereador. Outro conselho do especialista: o candidato a vereador não precisa de metade mais um dos votos para se eleger, como acontece com o prefeito. Portanto, não é necessário se desesperar e cometer um erro básico de muitos concorrentes: fazer campanha em toda a cidade. O candidato deve se concentrar nas regiões onde ele atua, principalmente no bairro onde vive ou trabalha. “Ao querer atuar no município inteiro, pode acontecer o seguinte ao candidato: as pessoas que o conhecem e poderiam considerá-lo como uma opção, podem achar que ele nem está fazendo campanha lá e acabam votando em outro; e as pessoas que o candidato ou candidata não conhece, também não conseguem construir uma ideia de reputação tão rápida acerca dele. Então o melhor é o concorrente focar em sua região de trabalho, onde reside, ou é mais conhecido”, aconselha o consultor. Outro ponto que leva o candidato ao erro é “imaginar que sabe de tudo”. Segundo ele, de uma eleição para outra, tudo muda. Os showmícios do passado estão proibidos, assim como a impressão de camisetas ou brindes; já neste ano há a possibilidade de impulsionamento em redes sociais, a vaquinha eletrônica para arrecadar dinheiro, cada medida com suas próprias regras. Tudo isso, mais a pandemia. “Coisas que o candidato nem imaginava que enfrentaria pela frente, mas que precisa conhecer melhor e estar atento a tudo. Mais um grave erro apontado por Vitorino, que fez vítimas em Mogi nas eleições municipais passadas é “olhar para rede social como se fosse tudo na campanha”. Muita gente decide fazer campanha somente nas redes e se ilude com “likes” ou “curtidas”. O consultor alerta: “Like não é voto. Já vi isso várias vezes: não é porque a pessoa tem muito like que terá muito voto. É fundamental que a pessoa tenha boa reputação. É isso que leva as pessoas a darem likes e a votarem nele.” Vitorino cita o caso de quem tem um canal de moda na internet e que tem uma audiência muito grande. Essas visualizações dificilmente irão se transformar em votos, já que é difícil para as pessoas transformarem a simpatia pelo influenciador em apoio eleitoral. De um candidato a vereador, o eleitor espera um posicionamento diferente. “Ser um influenciador (a) digital ou estar cheio de likes, não significa nada na hora da urna. A urna precisa de votos e não de likes”, sacramenta o consultor político. Amanhã, as últimas recomendações da série.

Deficientes

Já está em vigor o prazo para o eleitor com deficiência física ou mobilidade reduzida enviar à Justiça Eleitoral o pedido de transferência para votar em uma seção especial da cidade, nas próximas eleições. Estas seções são ambientes adaptados para oferecer maior acessibilidade, conforto e segurança na hora do voto a essa parcela do eleitorado. As solicitações poderão ser encaminhadas à Justiça Eleitoral até o próximo dia 1º de outubro.

No Sindicato

A Covid-19 faz mais uma vítima. Desta vez, junto ao Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Mogi e região. Aos 71 anos, faleceu na madrugada de ontem, o diretor da entidade, Tito Cordeiro. No cargo desde 2012, o baiano de Cruz das Almas era associado desde 1978, casado e pai de seis filhos. “Já faz muita falta, não só por sua capacidade de luta e mobilização, mas, principalmente, por sua amizade e companheirismo”, disse, em nota, o presidente Miguel Torres.

Volta das festas

Um dos primeiros a parar durante a pandemia e um dos derradeiros a retomar atividades, o setor de festas e eventos começa a discutir protocolos de atuação pensando na volta para valer no próximo ano. Ana Rosa Augusto, da Bless Assessoria, tem marcados um evento para novembro e outro para janeiro. Daí em diante, muitos casamentos e outras atividades represadas durante a fase do distanciamento social, deverão acontecer a partir do segundo semestre de 2021.

Pré-candidatos

Pelo menos seis pré-candidatos foram anunciados até agora para concorrer à Prefeitura de Guararema, nas próximas eleições: Antonio Carlos Borges (Toninho), do PSD; Horácio Vieira Filho, do PDT; Jessiane Iara da Silva, do Republicanos; João Augusto da Silva (Figueiredo), do PTB; José Luiz Eroles Freire (PL) e Natália Americano (PSL). O PT ainda não definiu quem deverá ser o seu pré-candidato.

Frase

Se há um idiota no poder, é porque os que o elegeram estão bem representados.

Apparício Fernando de Brinkerhoff Torelly, o Barão de Itararé (1895-1971), jornalista, escritor e pioneiro no humorismo político brasileiro


Deixe seu comentário