NOVO CORONAVÍRUS

Maioria das vítimas fatais da Covid-19 em Mogi possuía outras doenças

Teste rápido de COVID-19

Aproximadamente 85% das vítimas fatais da Covid-19 que residiam em Mogi das Cruzes tinham outras doenças. Segundo dados do boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde, dos 313 óbitos provocados pela doença registrados no município até a tarde desta quinta-feira (24), 313 são referentes a pacientes com comorbidades. Deste total, 49,1% das mortes foram agravadas por cardiopatias – termo que abrange todas as doenças que acometem o coração.

Já a diabetes ocupa a segunda colocação, presente em 34,4% dos óbitos. Na sequência estão doenças renais (8,7%), acompanhadas por males como obesidade, pneumopatia, entre outros.

Em Mogi, 54% dos pacientes contaminados pelo novo coronavírus são mulheres. Apesar disso, os homens lideram o número de mortes, representando 57% das vítimas fatais da Covid-19 na cidade.

A maior parcela das vítimas fatais da Covid-19 tinha entre 70 e 79 anos (29,3%), seguidas por pacientes com 60 a 69 anos (23,6%). Em paralelo, pessoas mais novas lideram o número de contaminações. A parcela mais atingida pelo vírus em Mogi tinha entre 30 e 39 anos (24,4%), acompanhada daqueles entre 40 e 49 (21,5%).

Balanço

O Alto Tietê notificou ontem mais quatro óbitos provocados pela Covid-19, sendo um em Arujá, assim como em Suzano e dois em Poá. O total de mortes pela doença na região chega a 1.382.

Mais 132 moradores testaram positivo. Com isso, o número de contágios da infecção no Alto Tietê salta para 26.983. Do total, 19.092, ou 70,7%, são referentes a pacientes já recuperados.


Deixe seu comentário