PUBLICAÇÃO

Livro apresenta ‘as coisas boas de Mogi’ em fotos

(Foto: Esio Takahashi)
AMOSTRA Capa do livro que propõe olhar a cidade de outra forma, segundo a curadoria da obra, com imagens que exibem atrativos locais, além de cenas do cotidiano, entre outros temas.

Impressas em papel de alta qualidade, fotos feitas por mogianos retratam diferentes aspectos de Mogi das Cruzes, desde a agricultura à produção cultural do município. Assim funciona o livro ‘Retratos de Mogi’, que já está pronto mas segue sem data confirmada para o lançamento físico.

Para completar a descrição, vale adicionar a fala do editor, Daniel Pereira, sobre o projeto ser uma forma de “apresentar e destacar as coisas boas da cidade” ou então a do fotógrafo e curador da obra, Ederson Fungaro, que define o trabalho como um “registro do tempo atual”.

O que Ederson quer dizer é que a fotografia funciona como uma “máquina do tempo” e mostra o olhar de 10 fotógrafos sobre a cidade de hoje, 2020. Isso é feito em 10 diferentes categorias: recursos naturais; agricultura; metrópole; “sua gente”; culinária; religiosidade; lazer e aventura; arte e cultura; equipamentos culturais; e atrativos turísticos.

Há “retratos” do cotidiano, homenagens ao título de Cinturão Verde, produções que jogam luz à fauna e flora locais. E ainda há locais e acontecimentos para reconhecer, como o Largo Bom Jesus, o Pico do Urubu, o Centro Cultural, a Festa do Divino e outros. Ao todo, são 200 fotos, dispostas em cerca de 300 páginas.

“São olhares de pessoas com histórias de vida e estilos de fotografia completamente distintos, o que é muito bacana, porque as pessoas que passam pelas ruas de Mogi não prestam atenção em tudo. E tem muito pra ver em locais como o Teatro Vasques”, diz Ederson.

CONTEÚDO Publicação mostra o olhar de 10 fotógrafos sobre a cidade, sua gente, arte e cultura, além de atrativos turísticos. (Clique na imagem para expandir) 

Mais do que um registro do “hoje”, o curador acredita que o livro tem tudo para se tornar, no futuro, referência do “ontem”. “É um produto lindo e riquíssimo, para olhar a cidade de outra forma. Acredito que o material impresso sirva para consultas futuras, para entender a Mogi de agora, assim como recorremos aos textos de Isaac Grinberg para compreender a Mogi de antigamente”.

Outro aspecto interessante do projeto é o social. Como tudo foi possibilitado a partir do Programa de Ação Cultural de São Paulo (ProAC), serão disponibilizadas 300 cópias do livro às bibliotecas públicas de todo o Estado, com ênfase maior nas do Alto Tietê.

Se o governo do Estado possibilitou a existência do projeto, foram empresas instaladas na cidade que o fizeram acontecer: CS Brasil, Petrom e Rinnai. E o poder público local entrou com apoio institucional, permitindo a confecção de imagens em pontos turísticos e equipamentos culturais, além de ajudar na divulgação da ideia, que começou a ser pensada há quase três anos.

“Acho que iniciativas como essas deviam acontecer mais vezes, não só em Mogi mas em outras cidades, outros estados. É fundamental dar essa oportunidade pra que fotógrafos estabeleçam um marco no tempo”, finaliza Ederson.

Expectativa é lançar a obra neste mês

Em abril o Centro Cultural receberia não apenas o evento de lançamento de ‘Retratos de Mogi’ como também uma exposição, por 15 dias, com algumas das imagens do livro. Mas, assim como inúmeras outras ações, estas tiveram que ser canceladas em função da pandemia do novo coronavírus.

A nova expectativa é lançar a obra em setembro, na onda das comemorações aos 460 anos da cidade. No entanto, isso não está confirmado, como conta o editor Daniel Pereira. “Estamos pensando em fazer uma exposição num espaço aberto, com lançamento virtual, para não ter aglomeração, mas nada está certo”.

Num mundo com menos possibilidades presenciais, não seria a versão digital, em formato ebook, uma boa saída? “A sensação da fotografia, a beleza, o encanto, tudo isso só é passado quando se pega o livro e observa a textura do papel, o tipo de impressão”, acredita o responsável pelo grupo Capella Editorial.

Recentemente, no último dia 11 de agosto, uma ação online deu um gostinho de como será o produto final. Ao lado do fotógrafo e curador Ederson Fungaro e do secretário municipal de Cultura, Mateus Sartori, Daniel mostrou como o livro “destaca o que a cidade tem de positivo”.

Quando for oficialmente disponibilizado, ‘Retratos de Mogi’ custará R$ 75,00, tanto pelo site da editora Capella como na Amazon. “Mas se tiver lançamento presencial faremos uma promoção por R$ 50 no dia”, promete Daniel.


Deixe seu comentário