REFERÊNCIA

Lançamento literário traz novela recheada de poemas e contos

DETALHES O autor, Danilo da Costa Cobra Leite, revela que a novela começou a ser escrita em 2003 e foi reescrita inúmeras vezes até a publicação agora pela editora Kotter. (Fotos: divulgação)

O escritor tradutor e estudioso de literatura Danilo da Costa Cobra Leite, paulistano criado em Mogi das Cruzes, acaba de lançar mais um livro. Desta vez a obra leva o nome de ‘Nhe’enga a More Quixotesco’ e é uma novela acompanhada de poemas e contos em que o personagem Rodolfo busca Laura e Laura não busca nada.

A história se passa em um único dia na cidade fria e nevoenta de Ita Anhangá, de localização não definida. “No fim, Rodolfo e Laura não se encontram, não são felizes para sempre, nem infelizes. Não terminam mais machucados que antes, nem menos. Em suas dores, hesitações, todavia, em pequenos prazeres e ponderações, as personagens brilham para o leitor. Brilham e se consumam e somem”, adianta o autor.

A novela, que tem na contracapa um texto do professor e escritor mogiano Mário Sérgio de Moraes, começou a ser escrita em 2003 e foi reescrita inúmeras vezes até ser publicada pela editora Kotter. “É uma história curiosa, uma peça literária longa que teve sua primeira versão há 17 anos. Reescrevi algumas vezes e fui inserindo partes. É um testemunho de minha formação como leitor, um mapa das leituras que fiz e que não posso tentar esgotar porque não acabaria nunca”, conta o escritor atualmente morando no sul da Bahia.

Ele não define o gênero do livro e defende que a literatura não precisa se demarcar por um gênero. “Não temos que separar por gênero. É um livro quixotesco, um pouco disso. O livro é desossado, ele mostra onde é poema, onde é comentário”.

O título, considerado muito sonoro pelo editor Daniel Osiecki, foi a fórmula que Danilo encontrou “para trazer a herança ibérica em comunicação com os modernistas como Mário e Oswald de Andrade. É uma tentativa de sintetizar isso e chamar a atenção mesmo. Nhe’enga em tupi antigo é fala, língua. A more quixotesco pode ser lido de duas formas: unido fica amore quixotesco, com amor; a more quixotesco é com ou pelo método quixotesco”. Danilo da Costa- -Cobra Leite diz que suas maiores influências são Cervantes, Shakespeare, Machado de Assis, Borges e Carlos Drummond de Andrade. Seu livro anterior foi lançado pela Editora Patuá em 2015 e leva o título de ‘Paralithomaquia e outros poemas’.

O escritor, que gosta de explorar recursos narrativos e suas potências, está trabalhando em vários textos: uma ficção científica, uma teogonia que se passa em uma cidade brasileira e outro que mistura os fragmentos da memória de um tradutor que se torna usuário de crack.
Em tempos de pandemia e de isolamento social, Danilo da Costa-Cobra Leite acha que a “arte ajuda a manter a sanidade mental e cultiva uma perspectiva de transcendência”.

Os livros dele podem ser encontrados nos sites das editoras que os publicaram: https://kotter.com.br/loja/nheenga-a-more-quixotesco/ e https:// www.editorapatua.com.br/produto/222170/paralithomaquia-de-danilo-da-costa-cobra-leite

 


Deixe seu comentário