MENU
BUSCAR
COLUNA INFORMAÇÃO

Espécie ameaçada encontrada no Parque das Neblinas

O sagui-da-serra-escuro agora existe na Serra do Itapeti, no Parque Centenário, em César de Souza, e também no Parque das Neblinas, na Serra do Mar

Darwin ValentePublicado em 27/04/2021 às 19:04Atualizado há 15 dias
Foto: reprodução / Wikipedia

A primeira vez que muitos mogianos ouviram falar no sagui-da-serra-escuro (Callithrix aurita) foi quando, nos anos 80/90, a Regional de Mogi do Ciesp tentou instalar um aterro sanitário na região do Taboão e acabou impedida a partir do momento em que um bando desses animais, desde à época ameaçados de extinção, foi encontrado justamente numa mata próxima ao local escolhido para abrigar a futura obra. A presença dos animais simplesmente inviabilizou o empreendimento. Os animais continuaram por lá, para satisfação dos ambientalistas que passaram a cultuar o local que abrigava os irriquietos animaizinhos.   Por muito tempo não se falou mais deles, até que com a criação do Parque Centenário, surgiu por ali um casal desses saguis. A princípio muito ariscos, eles foram se acostumando com a presença do público e se aproximando cadavez mais dos visitantes em busca de bananas e outros alimentos. Na mesma rapidez com que se procriavam. Hoje, são atrações do local.  E, mesmo ainda constando na lista dos animais ameaçados de extinção, eis que surge outra boa notícia relacionada a esses animais: o Instituto Ecofuturo, mantido pela Suzano, identificou a presença do sagui-da-serra-escuro no Parque das Neblinas, reserva ambiental, localizada na região da Serra do Mar, na divisa dos municípios de Mogi e Bertioga.A descoberta foi feita a partir de um registro da própria equipe da reserva, posteriormente confirmado pelo biólogo e professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Fabiano Rodrigues de Melo. Por meio de uma parceria com a área de Meio Ambiente Florestal da Suzano, o especialista monitora populações de primatas no Parque, e em outra área da companhia, em Pindamonhangaba (SP). O “sagui-caveirinha”, como também é conhecido pelo desenho da pelagem de sua face, é um animal de pequeno porte, que pesa em torno de 500 gramas e, geralmente, vive em pequenos grupos. A espécie é nativa da Mata Atlântica da região Sudeste e, atualmente, está entre os 25 primatas mais ameaçados do mundo, segundo a pesquisa Primates in peril, publicada pelas organizações IUCN SSC Primate Specialist Group (PSG), International Primatological Society (IPS), Global Wildlife Conservation (GWC) e Bristol Zoological Society (BZS). O mesmo estudo aponta que a população da espécie está em cerca de 1 mil indivíduos.  Classificado como Em Perigo (EN), as principais ameaças ao sagui-da-serra-escuro é a perda de habitat natural e a hibridação com seus congêneres, fruto da inserção de espécies de Callithrix nativos de outras regiões – como o sagui-de-tufos-brancos (Callithrix jacchus), nativo da Caatinga, e o mico-estrela (Callithrix penicillata) –, consequência do tráfico de animais silvestres. Este tipo de cruzamento faz com que a espécie perca suas características genéticas e, até mesmo, o seu fenótipo – ou seja, a “carinha” dele –, sendo um grande risco para a sua conservação. Cuidando da cidade O deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) disse a esta coluna que está acompanhando muito de perto o movimento de alguns setores retrógrados da cidade de aproveitar as dificuldades advindas da pandemia para tentar promover alterações na legislação que regulamenta a utilização de espaço urbano no município, buscando abrir espaço para que a cidade volte a ficar emporcalhada, como  era há cerca de duas décadas. “Não podemos perder esta conquista e eu prometo que vou trabalhar para que a Prefeitura de Mogi não venha a afrouxar a legislação que conseguimos implantar durante o nosso governo, garantindo um melhor visual para a cidade”, garantiu Bertaiolli. Parceria firmada A Procuradoria Regional do Trabalho da 2ª Região firmou convênio com a Universidade de Mogi das Cruzes com o objetivo de “proporcionar a preparação do estagiário para o emprego, vida cidadã e para o trabalho, por meio do exercício de atividades correlatas à sua pretendida formação profissional”. A parceria busca complementar o conhecimento teórico adquirido no curso de Direito, na instituição de ensino. O convênio terá duração de três anos, devendo se estender até janeiro de 2024.O Ministério Público do Trabalho foi representado pelo procurador-chefe, João Eduardo de Amorim e a Omec por  Claudio José Freixieiro Alves de Brito, pró-reitor de Graduação. Base móvel A vereadora Maria Luiza Fernandes (SD) anunciou a liberação de R$ 400 mil pelo governo estadual, a serem destinados à instalação de uma Base Móvel da Guarda Municipal, em Mogi. O recurso seria resultado de uma emenda orçamentária apresentada em prol de Mogi pelo deputado estadual Alexandre Pereira (SD), do mesmo partido da vereadora. Malu Fernandes lembra que em março deste ano houve uma elevação de 18% nos casos de roubos, 37% de roubos de veículos e 31% de furtos na cidade: “Vamos acompanhar o processo para que a instalação dessa Base ocorra o mais breve possível. Não podemos permitir que o comércio e a população sejam mais prejudicados”. 

ÚLTIMAS DE Informação