Antes mesmo de completar os 100 primeiros dias de seu governo, uma marca emblemática, geralmente usada para o balanço inicial de uma administração pública, o mandato do prefeito Caio Cunha (PODE) enfrenta sua primeira crise causada pelas reações adversas de diferentes segmentos da comunidade mogiana à indicação Reinaldo Barreiros para secretário-adjunto de Esportes, uma pasta ainda sem titular e que, portanto, passaria a ser comandada por ele, enquanto o virtual  secretário se recupera da Covid-19. Os problemas começaram quando passaram a circular em redes sociais algumas fotos e textos supostamente extraídos do perfil de Barreiros em uma delas. Na primeira foto, o adjunto aparece exibindo uma pistola e um revólver, possivelmente em um estande de tiro; em outra, Barreiros aparece abraçado com o pastor evangélico Silas Malafaia, sobreponto as inscrições “Ele vem e quebra tudo”, “Manja muito e ainda estamos sacudidos”, e o agradecimento: “Obrigado pastor”; enquanto na terceira, sua foto aparece com uma ode aos governos militares da ditadura: “Ficar a Pátria livre ou morrer pelo Brasil!” e que “o maior avanço que tivemos foi graças à coragem desses honrados militares”. Ele sugere: “Combata fatos com fatos” para citar que “(os militares) pegaram o País com o 45º PIB do mundo e, 21 anos depois, o entregaram-no aos civis no 10º lugar do PIB mundial (Estamos há 23 anos sob autoridade civil e ainda estamos em 10º).” Numa outra foto, ele posa ao lado da primeira página do jornal República, que anuncia a tomada do governo pelos militares, com o seguinte comentário de Barreiros: “Saudade daquilo que a gente nunca viveu!” Em seguida, ele aparece ao lado do prefeito Bruno Covas (PSDB), num foto identificado como tendo sido feita no Comando Militar do Leste; e outra ao lado do vereador Carlos Bolsonaro, o filho 02 do presidente Jair Bolsonaro. E, por fim, a mais emblemática de todas: trajando uma camiseta preta com o nome “Mogi d’as Cruz’s” num rótulo estilizado do whisky Jack Daniel’s, o protagonista aparece com um enorme porrete, no qual pode ser lida uma suposta referência bíblica: “M.T. 10:34”. Nesta passagem, São Mateus relata que Jesus disse aos seus discípulos: “Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer a paz, mas sim a espada. De fato, vim separar o filho de seu pai, a filha de sua mãe, a nora de sua sogra. E os inimigos do homem serão os seus próprios familiares”. Algo que precisa ser decodificado, como tantas outras citações bíblicas atribuídas a Jesus. Evangélico que é, Caio Cunha deve ter entendido tudo para classificar como “repugnante, infantil, desnecessária, irresponsável, imatura, desagregadora e constrangedora” as posições de seu nomeado. Depois de haver constatado tudo isso, parece não haver dúvidas quanto ao próximo passo do prefeito para resolver a primeira crise que afeta seu governo.

LEIA TAMBÉM: Frente Popular pela Cultura publica carta de repúdio à nomeação de Reinaldo Barreiros

Variantes do vírus 

O diretor do Hospital Santa Maria, de Suzano, Téo Cusatis, informa que  as mutações do novo coronavírus  já são detectadas por meio do exame de RT-PCR realizados por aquela unidade hospitalar. Segundo o ex-secretário municipal de Saúde de Mogi, “os exames realizados pelo Santa Maria são resultados de uma parceria com o Laboratório do Hospital Albert Einstein de São Paulo e o método RC-PCR utiliza alvos genéticos que permitem identificar as alterações recém-descobertas no Reino Unido e na África do Sul”. Até agora, no entanto, os exames realizados em pessoas da região ainda não detectaram a presença dessas variações do vírus cada dia mais mortal e preocupante.

Misteriosos viadutos 

A diretoria executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, vinculado ao Ministério da Infraestrutura decidiu rescindir o contrato com a empreiteira Egis - Engenharia e Consultoria Ltda cujo objetivo seria a elaboração de estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental, além dos projetos básicos e de engenharia  para transposição em desnível da via férrea nas proximidades da avenida Manoel Bezerra de Lima Filho, avenida Ricieri José Machado (sic) ou Marcatto e José Figueira Filho, no perímetro urbano de Mogi das Cruzes. Pergunta que não quer calar: alguém da cidade, por acaso, sabia que esses estudos estavam para ser realizados???

Apoio à Sta. Casa

A recém-empossada vereadora Inês Paz (PSOL) anunciou que está mobilizando os deputados estaduais e federais de seu partido em busca de ajuda para a Santa Casa de Mogi das Cruzes. A medida veio  após um encontro pessoal da vereadora com o provedor da filantrópica, José Carlos Petreca, na última terça-feira. “Ouvimos o provedor a respeito do corte de 12% das verbas da Santa Casa pelo Estado, que reduzirá em R$ 86 mil mensais e das dificuldades que isso acarretará à saúde pública, principalmente nesse momento de pandemia. A Santa Casa de Mogi é responsável por cerca de 20 mil atendimentos por mês e esse número tende a aumentar com o fechamento do Pronto- Socorro do Hospital Luzia de Pinho Melo”, disse Inês Paz.

Fiat lux!

A avenida Cívica, um ponto de grande movimento do bairro do Mogilar, está com as suas luzes apagadas desde o final do ano passado. Os moradores das proximidades não foram informados sobre os motivos do blecaute, mas já começam a sentir os seus efeitos: a presença de desconhecidos, que passaram a fazer ponto por ali, no período noturno