MENU
BUSCAR
COLUNA INFORMAÇÃO

Bom Prato de Jundiapeba, novela de final duvidoso

Desde que chegou à Assembleia, o deputado Marcos Damásio ouve promessas sobre o Bom Prato de Jundiapeba. Já no segundo mandato, ele não perde as esperanças

Darwin ValentePublicado em 02/06/2021 às 19:58Atualizado há 13 dias
Qual será o destino do Bom Prato de Jundiapeba? / DIVULGAÇÃO
Qual será o destino do Bom Prato de Jundiapeba? / DIVULGAÇÃO

 A instalação de uma unidade do Bom Prato, no distrito de Jundiapeba, em Mogi das Cruzes, uma verdadeira novela de enredo marcado por promessas não cumpridas, pode estar, quem sabe, próxima de um final feliz. 

Basta que possamos acreditar no anúncio que foi feito, mais uma vez, ao deputado estadual mogiano, Marcos Roberto Damásio da Silva (PL), pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social.

Durante rvisita à sede do órgão, em São Paulo, na última terça-feira (1º), o parlamentar ouviu da secretária Célia Parnes que já estão sendo feitos os estudos técnicos para o investimento a ser realizado na cidade.  

Esta, entretanto, não foi a primeira vez que o deputado saiu da sede da Secretaria, na Capital, com as esperanças renovadas de que, finalmente, poderia comemorar  a grande conquista para Jundiapeba, um de seus principais redutos eleitorais na cidade.

Damásio vem defendendo a instalação do Bom Prato no distrito desde o seu primeiro mandato (ele já está no segundo), período em que, além das promessas do governo estadual, conseguiu junto ao ex-prefeito Marcus Melo (PSDB) a autorização para a construção do prédio do restaurante em área de Jundiapeba.  

Segundo informa a assessoria do parlamentar, as articulações começaram em 2016, com ele mostrando à Secretaria de Estado a importância e necessidade de se instalar tal unidade naquele populoso e carente distrito de Mogi.  As conversas evoluíram e, a princípio, o Estado havia decidido que seria melhor alugar um imóvel naquela localidade a ter de construir o espaço para o futuro restaurante. 

O local escolhido chegou a ser vistoriado por uma equipe técnica, à época. E, ao final do governo Geraldo Alckmin/Márcio França, chegou a ser assinada uma autorização para o investimento. Só que isso aconteceu em pleno período eleitoral e como França perdeu a disputa para João Doria (PSDB), sobrou a esperança de que a promessa, já em andamento, seria finalmente cumprida.

Com o novo governo, o deputado continuou a insistir. Mas aí, tudo mudou de figura. Em lugar do prédio alugado, o Estado resolveu construir um imóvel para abrigar o futuro restaurante. Ou seja, todo o trabalho já realizado foi perdido com a adoção de uma nova diretriz pelo atual governo. O deputado, no entanto, não perde a esperança: “Agora, com o custeio do Estado, o Bom Prato de Jundiapeba vai ser uma realidade”, assegura Marcos Damásio , que continua acreditando no governo, mesmo não tendo lá muitos  bons motivos para isso.

Padre na mira do PL

Engana-se redondamente quem imagina que o presidente nacional do PL, ex-deputado Valdemar Costa Neto, desistiu de convencer o padre Alessandro Campos a sair candidato a deputado, nas eleições do próximo ano. Depois de uma conversa, durante almoço, em Brasília, quando o convite foi informalmente apresentado, o assunto entrou em base de banho-maria. Mas segundo informações de boas fontes, os contatos estão sendo retomados e podem chegar a um bom termo dentro de mais algum tempo. Depois de se dar bem como religioso cantor, apresentador de rádio e televisão e, mais recentemente, como escritor, a política pode ser o futuro desafio de Alessandro, que nada confirma sobre o tema.

Mudanças na quadra

Além do ex-secretário Nilo Guimarães, de Esportes, quem está deixando o Mogi Basquete, antes do início da nova fase, anunciada durante o final da tarde de ontem, sob o comando do atual governo municipal, é o jornalista Antonio Penedo. Ele, durante as sete mais recentes temporadas da equipe mogiana, foi o responsável pela divulgação das notícias da equipe junto aos veículos de imprensa da cidade e região. Fez bom trabalho e poderá ser substituído por prata da casa: a jornalista Suellen Ladessa, que vinha trabalhando ao lado de Penedo, durante toda a temporada passada, permanecia na assessoria, após a saída do antigo titular, com boas chances de vir a ser mantida em definitivo.

1 criança, 1 árvore

A cada criança, uma árvore. Esta é a proposta da vereadora Fernanda Moreno (MDB), para comemorar o Dia do Meio Ambiente, em Mogi. A ideia apresentada à Câmara é a seguinte: a cada criança que nascer e for registrada na cidade, os pais receberão uma muda de árvore nativa, a ser plantada em local por eles escolhido ou num espaço previamente oferecido pela Prefeitura Municipal. Ao plantar a árvore, os pais receberão um diploma em nome do recém-nascido. E poderão acompanhar  o crescimento da árvore juntamente com a criança, conscientizando-a da importância do verde para sua vida. A ideia, admite Fernanda, não é sua, mas originária da Suíça e já adotada em várias cidades brasileiras.

Atenção, em obras

Apesar de a Justiça haver autorizado a Prefeitura a impedir o avanço da invasão da área localizada junto à Vila São Francisco, em Mogi, o trabalho de ocupação do local por novas moradias continua, como fica evidente na foto ao lado. Parece que apenas com a reintegração da posse aos legítimos donos será possível conter o avanço de novas pessoas sobre a área.

ÚLTIMAS DE Informação