MENU
BUSCAR
COLUNA INFORMAÇÃO

Bolsonaro: um passo mais perto de Valdemar Costa, o Boy do PL

Presidente foi à filiação do governador do Rio, Claudio Castro, ao PL, em Brasília. Ao discursar, referiu-se à legenda de Costa Neto como “nosso partido”

Darwin ValentePublicado em 27/05/2021 às 19:17Atualizado há 19 dias
Bolsonaro, não apenas compareceu, como fez questão de ser fotografado ao lado dos integrantes do PL / Divulgação - Câmara dos Deputados
Bolsonaro, não apenas compareceu, como fez questão de ser fotografado ao lado dos integrantes do PL / Divulgação - Câmara dos Deputados

Basta acompanhar um pouco mais de perto o noticiário político de Brasília para se ter uma visão mais próxima do real poder de fogo que o ex-deputado federal e atual presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, desfruta, neste momento, junto ao governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Não fosse isso, como justificar a presença do próprio presidente na solenidade de assinatura da ficha de filiação do atual governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro, que trocou o PSC pelo partido de Valdemar?

Bolsonaro, não apenas compareceu, como fez questão de ser fotografado ao lado dos integrantes do PL e chegou até mesmo a fazer um discurso onde se referiu à legenda como “nosso partido”. Ato falho do presidente, ou estaria ele deixando no ar uma possível transferência para o ninho liberal? 

A princípio, Valdemar se mostrou contrário a isso, mas como na política tudo muda com muita facilidade, tudo é possível. O certo é que a intimidade entre Valdemar e Bolsonaro é cada dia maior, a ponto de o presidente haver gravado uma mensagem destinada exclusivamente à sogra do liberal, dona Marlene Teixeira Vidal, fã de carteirinha do presidente da República.

Ao saudar o novo filiado ao PL, Claudio Castro, que foi antecedido pelo senador Romário, o presidente Bolsonaro disse:

“É uma satisfação estar aqui. Obrigado Valdemar Costa Neto pelo convite; Arthur Lira, nosso presidente; prezado Cláudio Castro, nosso governador, que está fazendo um bom trabalho no RJ. Tenho muita simpatia por ele. Temos nos entendido muito bem e é um motivo de satisfação e honra estar aqui. Desejo boa sorte no novo partido, que tenha sucesso no Rio de Janeiro. Já tenho conversado com ele sobre a sucessão. Creio que o Rio de Janeiro está muito bem servido de governador e, se Deus quiser, vem uma reeleição pela frente. Parabéns a vocês e ao nosso partido, o PL”, garantiu Bolsonaro.

Mas nem só de conversa vive esta relação. Nesta semana, as colunas políticas da Capital Federal diziam que Valdemar havia emplacado Gabrielle Olivi Lins de Araújo como secretária especial de Articulação Social da Secretaria de Governo. Gabrielle é presidente do PL Mulher do Distrito Federal  e já foi administradora do Lago Sul, bairro nobre de Brasília, segundo o site O Antagonista. 

Também nesta semana, Bolsonaro entregou o comando do Banco Nacional do Nordeste a um aliado de Valdemar. Alexandre Borges, que já foi presidente da Casa da Moeda, ocupará o lugar de Romildo Rolim à frente do Banco.

Com tanto poder de fogo, só falta transformar isso em algo de bom para Mogi.

humor de mogianos

O comediante Léo Lins encontrou uma fórmula eficiente para divulgar suas apresentações. Ao definir o show em alguma cidade, ele coloca nas suas redes sociais um stand-up com piadas envolvendo personagens e assuntos ligados àquela localidade. Com humor, ele carrega nas tintas em busca de alguma polêmica que ajude a tornar o seu espetáculo mais conhecido.  Fez isso com Suzano e deu resultado. O prefeito não gostou das críticas e proibiu o show: tudo o que ele precisava  para estender a polêmica. Ontem, o tema foi Mogi, começando com o prefeito Caio Cunha (PODE) e chegando até “Jundiatrevas” (sic). Muita gente viu e comentou. Mas, até o começo da tarde, pelo menos, não houve grandes chiadeiras, nem a polêmica que Lins certamente aguardava.

Sonhos de Guararema

Nas redes sociais de alguns figurões da cidade de Guararema tem circulado um post, resultante, certamente, de sonhos ou delírios de algum fanático, com uma possível chapa integrada por supostos candidatos às próximas eleições. As “sugestões” começam com Geraldo Alckmin para presidente e Márcio França para governador. E, a partir daí, vêm: Rodrigo Ashiuchi para vice-governador; Marcio Alvino para senador  e André do Prado para deputado federal; o ex-prefeito Adriano Leite, concorrendo a deputado estadual; além do pouco conhecido vereador Sidnei Leal para deputado estadual ou federal. A julgar pela composição doméstica do grupo, tudo indica que a ideia partiu de alguém ligado ao PL.

Prato do dia: economia

A Coluna do Estadão, espaço voltado à política no jornal “O Estado de S. Paulo”, dedicou duas notas e uma foto-legenda ao encontro do deputado federal mogiano, Marco Bertaiolli (PSD) com o ministro Paulo Guedes, da Economia. Por lá, soube-se que os dois almoçaram juntos, na última quarta-feira, na sede do Ministério da Economia, em Brasília. Bertaiolli foi entregar ao ministro uma cópia do relatório elaborado pelo mogiano, acrescentando pontos importantes à MP da do Ambiente de Negócios, destinada a facilitar a geração de empregos e incentivar o empreendedorismo no País. O relatório da MP será entregue, na próxima semana, ao presidente da Câmara, Arthur Lira, para ser discutido e votado pelos deputados.

ÚLTIMAS DE Informação