NEGÓCIO

Grupo Notre Dame compra a empresa mogiana Samed

Valor da transação não foi revelado, mas as especulações davam conta de que pode ter ultrapassado os R$ 200 milhões. (Foto: Arquivo)
Valor da transação não foi revelado, mas as especulações davam conta de que pode ter ultrapassado os R$ 200 milhões. (Foto: Arquivo)

A Notre Dame Intermédica, operadora de planos de saúde, anunciou, no início da noite desta terça-feira (19), a aquisição das empresas proprietárias do Grupo Samed, com sede em Mogi das Cruzes, que atua em toda a Região. O contrato de venda teria sido assinado na quinta-feira passada, mas o anúncio oficial demorou alguns dias para ser divulgado. O valor da transação não foi revelado, mas as especulações davam conta de que pode ter ultrapassado os R$ 200 milhões. A Samed não emitiu qualquer comunicado para Mogi e Região onde atuou durante toda sua existência.

Segundo o que foi apurado ontem por este jornal, a Notre Dame terá controle indireto de 95,14% da Samed, além de 91,86% de outros negócios do Grupo que é proprietário do Hospital Santana (102 leitos), três centros clínicos e do Laboratório Dr. Pedro Bonelli de Análises Clínicas. A Samed tinha à frente o médico Mannie Liu e Adalcindo Vieira do Nascimento. A compradora informa que fará uma oferta para adquirir totalmente os negócios do Grupo Samed.

A Notre Dame informou que a Samed tem cerca de 80 mil beneficiários de seu plano de saúde, sendo 92% da categoria corporate/PME e 6% de planos de adesão, principalmente de Mogi, Suzano, Itaquá, Poá e Arujá. Segundo comunicado sobre o negócio, em 2017 a Samed teve uma receita líquida de R$ 214 milhões e uma taxa de sinistralidade (despesas médicas) de 74,5%.

O negócio foi pago à vista e o preço de aquisição, segundo o que foi apurado, equivale a cerca de oito vezes o Ebitda do ano passado, descontado o endividamento da Samed. O valor da Ebtida também não foi divulgado. (Ebtida é a sigla de “Earnings Beforte Interest, Taxes, Depreciation and Amortization”, que significa “Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização”, em português).

Segundo Glauco Desidério, diretor de Relações com Investidores do Grupo Notre Dame, “com a transação, a Companhia demonstra a intenção de manter sua estratégia de crescimento, de fortalecimento de sua sede própria, ampliando a abrangência geográfica no Estado de São Paulo e reforça seu compromisso com a criação de valor para seus acionistas”.


Deixe seu comentário