Quando questionado se a Federação Paulista de Tênis tem estudado a implantação de um Centro de Treinamento de tênis e beach tennis em Mogi das Cruzes, o diretor executivo de novos negócios da entidade, Roberto Fadul, responde que “isso já é uma realidade”.

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Planejamento, já até estuda a instalação do complexo esportivo em um terreno nas proximidades da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, entre o bairro do Socorro e o distrito de César de Souza.

“Nós protocolamos o projeto em 2018, mas ele ficou parado até agora, principalmente porque 2020 foi um ano atípico. Fomos recebidos pelo prefeito Caio Cunha (PODE) e ele gostou do que foi apresentado. Essa é uma oportunidade de trazer para a cidade 2 mil empregos diretos e outros 2 mil indiretos. E tem toda a movimentação econômica para o município”, comenda Fadul.

Para ele, o projeto tem ainda um valor sentimental. Ex-tenista e atual membro da diretoria da Federação, ele é mogiano e, mesmo trabalhando em São Paulo, ainda mora na cidade. Além disso, o Centro de Treinamento promete uma contrapartida com serviço social, atendendo crianças e jovens de baixa renda, além de projetos voltados para adultos, idosos e pessoas com deficiências e necessidades específicas.

O diretor se emociona ao falar que o filho Daniel Fadul, de 17 anos, é o primeiro atleta profissional de beach tennis diagnosticado com Síndrome de Asperger, que é um estado do espectro autista. O esporte fez com que o garoto, que hoje já tem vitórias em campeonatos no currículo, se desenvolvesse melhor.

“Essa é uma missão que carrego agora. Se a gente conseguiu fazer com que meu filho desenvolvesse, podemos fazer isso por outras pessoas que têm autismo, que têm dificuldade de desenvolvimento motor. O esporte pode fazer muito pelas pessoas, ele é para o dia a dia, para a interação social.”

Projeto

Com espaço definido e documentação aprovada pela Prefeitura, a expectativa é de que as obras sejam iniciadas em 2021. O plano inicial é de que elas sejam executadas em duas etapas, tendo um prazo de 12 a 18 meses para a primeira parte e o mesmo tempo para a segunda.

Está prevista a construção de 20 quadras de tênis e outras 20 de beach tennis.

“Mas a construção envolve ainda a parte de vestiários, alojamento para quem vier de fora, mini complexo hoteleiro para receber pessoas em eventos nacionais e internacionais e atletas ou treinadores de fora que queiram vir fazer workshop ou imersão de melhora nas questões de treinamento”, explica o diretor.

Todo o espaço será utilizado nos projetos sociais, abrindo oportunidade para a realização de 7,5 mil atendimentos gratuitos por mês e para que a população de baixa renda possa utilizar os equipamentos sem custo.

A Prefeitura já encaminhou à Secretaria de Planejamento e Urbanismo uma solicitação de estudos para a análise da instalação do Centro de Treinamento. A pasta recebeu as informações da Federação e está fazendo os estudos técnicos que verificarão a possibilidade de implantação de um centro voltado à modalidade no local especificado, o terreno entre Socorro e César.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico afirmou que avalia como muito positivo o interesse na implantação de um centro de treinamentos na cidade.

Capacidade de atendimentos

273.600 atendimentos por ano

5.700 pessoas praticando tênis e beach tennis

60 eventos por ano

72.960 atendimentos por ano no projeto social de tênis

19.200 atendimentos por ano no projeto social de beach tennis