Entrar
Perfil
BASQUETE

Mogi Basquete faz balanço e procura por parceiros

Dimas Martins Franco Junior, o empresário que assumiu a presidência do clube há seis meses, fala a O Diário sobre os primeiros meses de trabalho

Mariana Acioli
29/05/2022 às 17:00.
Atualizado em 29/05/2022 às 17:00

(Crédito: Mogi Basquete / Divulgação)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
BASQUETE

Mogi Basquete faz balanço e procura por parceiros

Dimas Martins Franco Junior, o empresário que assumiu a presidência do clube há seis meses, fala a O Diário sobre os primeiros meses de trabalho

Mariana Acioli
29/05/2022 às 17:00.
Atualizado em 29/05/2022 às 17:00

(Crédito: Mogi Basquete / Divulgação)

Vindo de período repleto de instabilidades, o Mogi das Cruzes Basquete busca dar uma guinada na próxima temporada, mas tal missão não deve ser fácil.

Há seis meses, o clube recebeu a chegada de novo diretor: o empresário Dimas Martins Franco Júnior, que busca caminhos para superar a má fase vivida pelo tradicional time da cidade. Na temporada 2021/2022 o time ficou de fora dos playoffs do NBB pela primeira vez em nove anos. O golpe duro é reflexo de dificuldades que se acentuaram nos últimos dois anos, na esteira da pandemia de Covid-19. 

Neste período, o ginásio Professor Hugo Ramos, o ‘Hugão’, onde os jogos da cidade são realizados, precisou fechar para a torcida, afetando diretamente o faturamento. 

Após a temporada 2020/2021 o time se despediu do técnico Guerrinha, nome querido da cidade que saiu para treinar a equipe adversária, Bauru.
Já a temporada 2021/2022 foi marcada por desfalques e longa ausência do armador Fulvio Ribeiro. O próprio treinador Danilo Padovani, que assumiu o time, reconheceu na campanha que houve muitos desperdícios de bolas e erros. 

Nestes últimos meses, o time buscou um novo patrocinador Master para, quem sabe, garantir novos reforços, mas esse tema ainda é mistério. 
A equipe mogiana terminou a última edição do NBB na 13ª colocação, com 11 vitórias em 32 duelos disputados, totalizando 34,4% de aproveitamento.

A O Diário, falando em nome da Associação Desportiva de Mogi das Cruzes, o diretor Dimas fez uma avaliação do time nos últimos meses e, de forma otimista. Segundo ele, o foco será aproveitar o atual respiro para analisar uma nova reestruturação do time.

Presidente da Associação Desportiva de Mogi das Cruzes, Dimas Martins Franco Júnior (Crédito: Mariana Acioli)

Dimas é formado em Ciências da Computação pela Universidade de Mogi das Cruzes, tem MBA em Gestão Empresarial pela FVG, e atualmente é o CEO da 76Telecom, operadora de telecomunicações, com unidade em Mogi das Cruzes.

“Nós sabíamos que ia ser um ano difícil, né?! Pós-pandemia, ginásio vazio, pode vir gente ou não?! Todo mundo com muito receio de colocar todos em ação, mas eu acho que dentro das possibilidades que nós tínhamos, nós fomos guerreiros. Brigamos até o final, fizemos frente para vários times que atuam na elite, até mesmo o próprio campeão da liga. Então acho que foi um ‘raio x’ muito bom. Penso que a gente tem um time unido, está todo mundo integrado para o projeto, trabalhando firme. Foi uma temporada muito boa para nós, dentro de todas as adversidades que tivemos”, analisa o presidente.

Ao longo dos primeiros seis meses à frente do Mogi Basquete, Dimas esclareceu que o período foi crucial para observar pendências e dar o primeiro passo para que as questões financeiras do clube começassem a serem resolvidas para, finalmente, seguir com os novos planos para o time.

“Esses seis meses foram de aprendizado para mim que estou como presidente. Nós começamos a fazer um estudo de como funciona, levantamos as contas e a gente viu que havia jogadores que muitas vezes entraram em quadra com salário atrasado, sem receber. Sabendo disso, eu queria fazer algo para tentar inverter essa situação. Então nós fomos mapeando todas as etapas, partindo da premissa de que nós precisamos de mais recursos. Como que a gente pode ficar mais atrativo para as empresas participarem conosco? Vamos fazer um estatuto diferente para que eles consigam colocar a parte fiscal deles aqui. Renúncia fiscal, imposto de renda, buscamos uma forma de fazer. E aí nós começamos a fazer essa estruturação,  temos novas pessoas que vão entrar, conseguimos dar uma equalizada nessa situação”, conta o presidente.

O tema dos novos patrocinadores e do patrocinador master é mistério. “Temos falado com muitas indústrias e comércios que querem participar. Estamos para soltar uma nova campanha agora, acredito com mais uns 15 dias, para tentar trazer o comércio local para participar conosco nesse primeiro momento e com as indústrias nós estamos tratando de uma outra forma, para que elas venham, usem o espaço e contem com nosso apoio para divulgar suas marcas”,  diz.

 Mudanças
“Com o estatuto novo, queremos mostrar para eles que o basquete é algo mais privado. Nós temos uma parceria com o setor público, o espaço para os jogos, porém, fora isso tem muito trabalho de bastidores para trazes as indústrias e as empresas. Queremos deixar claro que o basquete está apartado da prefeitura, porém, é parceiro da prefeitura, trabalhando lado a lado, mas a busca de recursos somos nós que estamos fazendo”, ressalta.
Saindo de uma temporada difícil financeiramente e já fora dos playoffs do NBB deste ano, o presidente conta quais são os próximos passos antes do início da participação no campeonato LDB (Liga de Desenvolvimento de Basquete) em julho.

“Estamos no momento do término de uma temporada, mas conseguimos chamar todos os jogadores, estamos fazendo um acordo com cada um deles. Agora a gente terá um momento de fôlego para pensar e montar a nossa estrutura administrativa, pegando a nossa parte que vai fazer uma busca dos atletas principais para o time”, pontua.

Segundo Dimas, 90% dos atletas já estão com acordo feito, aguardando os acertos pendentes dos outros 10%.

“A temporada começa daqui a uns 30 dias. Estamos agora na missão de ‘resolver a vida dos nossos atletas’, e logo na sequência ver como que a gente vai continuar.  Para onde vamos, se vamos aproveitar mais a base, se vamos trazer alguém de fora. Estamos em um momento de decisões”, enfatiza o presidente.

Perguntado sobre as expectativas para os próximos meses, com o clube mogiano presente em outros campeonatos, Dimas se encheu de orgulho para falar do time base, que tem feito bonito por onde joga.

“Gosto de falar bastante da base que enche nossos olhos. A molecada está jogando muito bem! Vai disputar agora o brasileiro. Eles estão indo para outros Estados, levando o nome da nossa cidade para lá e com isso eles já estão em quadra, já estão dando aquele calor que o time principal precisa. Aquela motivação do ‘vamos jogar’. Então nosso planejamento é disputar bem esse brasileiro com os nossos atletas, de uma forma séria e forte”, almeja o presidente.

 O técnico desabafa

(Crédito: Mogi Basquete / Divulgação)

“Sentimos muito orgulho pela superação de tudo que passamos nesta temporada. Nunca desanimamos em todos os jogos e sempre lutamos até o fim. Jogamos poucas partidas com o elenco completo, devido aos desfalques, problemas de pandemia e Covid-19. Todos os profissionais e atletas foram nota mil e deram o seu máximo, entregando tudo dentro de quadra. Vamos torcer para conseguir uma temporada ainda melhor nesta próxima fase” , disse Danilo Padovani, em comunicado após a eliminação no NBB

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por