SITUAÇÃO

Enfermaria para pacientes com a Covid-19 do Hospital Municipal de Mogi chega a 100% de ocupação

ESTRUTURA Centro de Referência para tratamento do novo coronavírus foi montado no Hospital Municipal de Braz Cubas. (Foto: arquivo)
ESTRUTURA Centro de Referência para tratamento do novo coronavírus foi montado no Hospital Municipal de Braz Cubas. (Foto: arquivo)

O Hospital Municipal de Mogi das Cruzes (HMMC), em Braz Cubas – onde foi estabelecido o Centro de Referência ao novo coronavírus no município, chegou a ter 100% dos 35 leitos de enfermaria ocupados na última sexta-feira, segundo informou o prefeito Marcus Melo (PSDB). Dos 44 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do serviço, 20 estavam em uso no dia. Atualmente, o Pronto Atendimento do local está atendendo cerca de 100 pacientes diariamente, o que representa um aumento de 40% em relação à média diária registrada na primeira quinzena do mês passado, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Saúde. Os números refletem o avanço da pandemia na região.

Com o aumento de internações, também cresce o número de pacientes assistidos no Hospital de Campanha da cidade, na Avenida Cívica. A unidade – que atua de portas fechadas e tem o objetivo de auxiliar o HMMC –, já havia assistido 78 pessoas até a noite desta sexta-feira, sendo que 34 permaneciam internadas, quatro foram transferidas por causa de agravamento no quadro clínico e os demais receberam alta médica. A abertura do local precisou ser adiantada para o dia 24 de maio, sobre influência do aumento nas taxas de internações.

Atualmente o hospital pode assistir 50 pessoas simultaneamente. O número pode ser expandido até 200.

“O Hospital de Campanha é uma dessas obras que a gente faz torcendo pra não precisar usar. Mas, se ele não tivesse sido construído, faltariam leitos de enfermaria em Mogi pra atender as 78 pessoas que já foram tratadas por lá”, comentou o prefeito Marcus Melo.

A situação também não é positiva nos hospitais estaduais do Alto Tietê: a taxa de ocupação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo, localizado em Mogi das Cruzes, voltou a subir, alcançando 90% da capacidade nesta sexta-feira. O hospital Santa Marcelina, em Itaquaquecetuba, se manteve com 100% dos leitos ocupados, enquanto o Regional de Ferraz foi o único que apresentou redução – o índice recuou de 80% na quinta-feira, para 62% na sexta. As informações são da Secretaria de Estado de Saúde.

“Por enquanto, precisamos continuar com o distanciamento social. Isso é fundamental para que, em breve, possamos reabrir a cidade aos poucos”, reforçou o prefeito à população.

Não esqueça!

Alguns dos sintomas mais comuns da Covid-19 são febre, dor de cabeça, dor no corpo, coriza e falta de ar. Porém, pessoas infectadas podem ser assintomáticas. Em Mogi das Cruzes, dúvidas sobre a doença podem ser esclarecidas no Disque Corona, serviço com atendimento pelo telefone 4798-5160 realizado por profissionais de saúde que podem orientar sobre questões dos pacientes bem como de seus familiares.

Balanço

Mogi das Cruzes confirmou mais 55 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. O total chega a 1.318, segundo informou a Saúde. Ao menos 111 mogianos perderam a vida na batalha contra o inimigo invisível, sendo seis apenas nas últimas 24 horas. O número de recuperados na cidade chega a 885 – três a mais na comparação com o dia anterior.


Deixe seu comentário