O ensino de música na rede municipal de Mogi das Cruzes começou no século passado, com as primeiras apresentações de milhares de pequenos cantores orientados pela maestrina Dulce Primo, responsável por implantar na cidade o projeto Um Canto em Cada Escola. Cada escola tinha um coral.

Dulce Primo é a responsável pelo Coral de Natal de Curitiba, que todo fim de ano, sem falta, está na mídia nacional, emocionando as pessoas das janelas do Palácio da Avenida, na capital paranaense.

Do canto de milhares de vozes infantis e dessa formação musical e humana, a cidade passou a descobrir, lapidar e direcionar jovens para faculdades, orquestras, sinfônicas e corais, e para o mercado de trabalho da música clássica nacional e internacional. Desse projeto, Mogi colhe gratas surpresas como a consagração do maestroLuiz Guilherme de Godoy, que dirigiu grupos de Viena e de Hamburgo, e não deixa de lembrar, com carinho, do primeiro impacto que teve ao participar dessa iniciativa, quando era criança.

Responsável pela formação de público e a projeção de talentos, o original, Um Canto em Cada Escola, com o passar dos anos, foi sendo remodelado até chegar ao  Pequenos Músicos...Primeiros Acordes na Escola, sempre sob a custódia da Secretaria Municipal da Educação  - o que se manteve, desde então, como uma reconhecida vitória de dirigentes e professores porque a sustentação de qualquer programa do poder público depende do interesse, vontade  e defesa do prefeito da ocasião e dada comunidade de base (maestro, o aluno, o pai do aluno). 

Há mais de três décadas, a resposta popular a esse projeto pavimentou o sucesso do governo municipal, que se vê, agora, gerido por nova gestão, que reavalia esse contrato. A noticia sobre o fim da parceria com a Associação Sinfônica Mogi, em dezembro, deixou em suspenso o futuro dos “Pequenos Músicos”.

 O prefeito Caio Cunha (PODE) afirma que esse legado não será interrompido. Promete melhorá-lo. Nem havia como ser diferente diante da rápida repercussão negativa à mínima intenção de se  desconstruir o que Mogi reconhece como um ganho social e educacional para 11 mil alunos 

Vale agendar: ainda neste mês, a Sinfônica Jovem, de Mogi, com mogianos formados neste projeto, se apresenta na Sala São Paulo, prestigiado palco nacional, na Capital. Dar as costas a tudo isso, seria um tiro no pé.