MENU
BUSCAR
EDITORIAL

O Sesc de Mogi vem aí

"De concreto já se tem mais da metade das reformas e concluídas na unidade que atenderá milhares de pessoas por mês, em ampla agenda cultural, social e esportiva"

O DiárioPublicado em 07/07/2021 às 15:57Atualizado há 21 dias

Os questionamentos judiciais e, pouco tempo depois, a famigerada pandemia, afetaram diretamente os planos iniciais para a instalação do Sesc de Mogi das Cruzes, um projeto esperado há mais de 30 anos pela região do Alto Tietê. Mas, o Sesc está chegando.

LEIA TAMBÉM: Sesc de Mogi prepara a abertura para este ano

Merecem atenção algumas informações extraídas de uma visita feita ao canteiro de obras do equipamento social em instalação nas antigas dependências do Centro Esportivo do Socorro, nesta semana.

Entre elas, a definição de Denise Mariano como gerente da unidade e os primeiros passos para a composição da futura equipe de trabalhadores no Sesc. Primeiro, funcionários de outras unidades, interessados na transferência para Mogi das Cruzes, terão prioridade na ocupação dos cargos. Logo em seguida, deverá começar a contratação de mão de obra local para o início das atividades, que ainda serão marcadas pelos cuidados exigidos pela pandemia.

A outra boa nova é o início de uma parceria entre o projeto Mesa Brasil e o Fundo Social de Solidariedade, conduzido por Simone Margenet Cunha.

Esse programa do Sesc difunde práticas alimentares econômicas e saudáveis, e também funciona como um ponto solidário de arrecadação de alimentos para saciar a fome que voltou a aumentar no Brasil, desde o nao passado.

Por agora, as doações serão recebidas na sede do Sincomércio, o Sindicato do Comércio de Mogi das Cruzes, e no Mogi Shopping. Depois, com a abertura do Sesc, epserada para setembro ou outubro, esse bvandeira passa a ser desenvolvida na própria unidade.

O Sesc era esperado para funcionar em junho. O adiamento, no entanto, cabe na colcha das mudanças de rota impostas pela pandemia.

De concreto, já se tem mais da metade das reformas e obras concluídas na unidade que atenderá milhares de pessoas mensalmente em um amplo escopo de atividades culturais, sociais e esportivas.

A atualização do andamento do projeto do Sesc dá um refresco em meio a um noticiário ainda denso e temerário, mas esperançoso.

Além de abrir as portas à população regional, o Sesc de Mogi vai geração 500 empregos diretos e indiretos.  Ou seja, ele será um polo difusor de cultura e saúde, mas com potencial de movimentar a economia da cidade com a geração de renda e emprego.

 Algo mais do que bem-vindo no atual momento.

ÚLTIMAS DE Editorial