CARTAS

De quem é a culpa?

Na edição de 13/09/2013, O Diário publicou editorial sobre a avenida Miguel Gemma, no bairro do Socorro, com o título “Sem esperança”. Pessimamente duplicada em 2008, no final da segunda gestão do ex-prefeito Junji Abe (MDB), aquela importantíssima via continua até hoje sem os necessários reparos e em péssimas condições. Em dezembro próximo, o descaso do poder público para com a avenida completará exatos 12 anos. E de quem é a culpa? Junji se defende, se considera inocente e diz que nada pôde fazer para impedir o desastre, mesmo sendo, à época, a autoridade máxima no município. A construtora CTP, vencedora do processo licitatório, incapaz de construir adequadamente até mesmo uma simples calçada, não se considerou culpada. O ex-prefeito Bertaiolli, que permaneceu no poder por oito anos, nada fez para consertar o erro ocorrido na gestão de seu antecessor e padrinho político. Afinal, a falha não ocorreu durante o seu governo. E o atual prefeito, por sua vez, prestes a terminar o seu mandato, também não se empenhou para dar fim ao sofrimento dos milhares de usuários que diariamente trepidam, sacolejam e danificam seus veículos naquela que é uma das mais importantes avenidas de Mogi. E de quem é então a culpa pela má execução da obra e pelo descaso de 12 anos? Sem dúvida, a culpa é de todos, mas o povo e a cidade que se danem, não é mesmo? Que vergonha! Para finalizar, deixo aqui uma indagação: se a administração municipal não consegue recuperar, no bairro do Socorro, 2 km de avenida em terreno plano, seco e sem pedras a dinamitar, como é possível que pretenda tornar real um caríssimo megaprojeto viário de interligação entre os bairros Mogilar, César de Souza e Socorro, batizado de + Mogi Ecotietê? Alguém explica?

Paulo Sergio da Silva Pimentel

paulospimentel@yahoo.com.br


Deixe seu comentário