Entrar
Perfil
CURTA-METRAGEM

Trilha sonora de ‘Nunca Estarei Lá’ valoriza artistas regionais

Filme financiado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura de Mogi das Cruzes conta com várias canções, sendo uma delas original: ‘Voraz’, de Valéria Custódio

O Diário
29/03/2022 às 16:27.
Atualizado em 29/03/2022 às 16:34

A produção é realizada com recursos da LIC, de Mogi das Cruzes (Divulgação)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
CURTA-METRAGEM

Trilha sonora de ‘Nunca Estarei Lá’ valoriza artistas regionais

Filme financiado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura de Mogi das Cruzes conta com várias canções, sendo uma delas original: ‘Voraz’, de Valéria Custódio

O Diário
29/03/2022 às 16:27.
Atualizado em 29/03/2022 às 16:34

A produção é realizada com recursos da LIC, de Mogi das Cruzes (Divulgação)

Sem falas, ‘Nunca Estarei Lá’, segunda produção cinematográfica a ser financiada com recursos da Lei de Incentivo à Cultura de Mogi das Cruzes, usa outros elementos para se comunicar com o espectador. O curta-metragem, com estreia prevista para o primeiro semestre deste ano, possui artifícios visuais, como mensagens trocadas entre os personagens, mas também de efeitos sonoros – e de uma trilha sonora com direito a canção original.

Quem melhor para ilustrar a história que fala sobre igualdade racial e de gênero, com a presença de protagonistas negros e homossexuais, do que uma cantora mogiana, de pele preta, voz marcante e letras contundentes, questionadoras? Valéria Custódio foi escolhida pelo diretor Rodrigo Campos.

‘Voraz’, a música tema, foi composta tendo como base o roteiro de ‘Nunca Estarei Lá’. “Conversamos bastante sobre a temática do filme, que dialoga muito comigo, com questões minhas. Me reconheci em vários pontos, como na representatividade”, diz a artista, que comemora a estreia como produtora de uma trilha sonora para cinema.

Como o filme parte da constatação de que “atualmente as pessoas passam mais tempo na internet do que se comunicando pessoalmente”, a música também revela esta realidade, que na tela, se reflete nos protagonistas Ana, Lucas e Gabi, jovens solitários, que residem no centro da cidade de São Paulo e se veem deslocados no mundo real.

O curta "Nunca Estarei Lá" tem estreia prevista para o segundo semestre deste ano (Divulgação)

A ideia não é dar spoiler, mas vale destacar uma das frases da canção: “um segredo voraz que me corrói entranha e me tira a paz”. No contexto do enredo, que convida ao mergulho em três diferentes camadas sociais (sobre tecnologia e a mudança na forma de comunicação entre as pessoas;  igualdade racial e de gênero; e incertezas políticas), faz todo o sentido.

“Quando eu pensamos nos personagens, e em um momento de conexão entre elas, a ideia foi realmente colocar uma música, uma playlist que virasse algo mais íntimo delas, que aproximasse mais”, justifica o diretor sobre a escolha de ‘Voraz’, que toca em um momento-chave da história. 

Desde o início, Rodrigo Campos “não queria que fosse só uma música, e sim que tivesse uma sonoridade mais romântica”, que de fato “falasse sobre as personagens e o momento de solidão que estão vivendo”, inclusive abordasse o cenário político. Afinal, a produção relembra as incertezas e o ódio gratuito do período eleitoral de 2018.

Outras músicas

Além da original ‘Voraz’, interpretada por Valéria Custódio com arranjos de Evandro dos Reis, outras canções compõem a trilha sonora de ‘Nunca Estarei Lá’. 

“Procurei trazer principalmente pessoas que estão no meio artístico e mais próximas da região”, explica o diretor, que buscou uma faixa da também mogiana Sarah Key, que faz rimas sobre temas como o empoderamento feminino. Ele também trouxe outra de Khalil Magno, que embora tenha nascido em Sorocaba, é muito conhecido no cenário local e canta críticas em ‘Ele Não’.

Khalil inclusive aparece em dose dupla, já que, com mensagem indagativa, um trecho de sua ‘Seja Feliz’ também aparece no filme. 

Como ‘Nunca Estarei Lá’ se passa no centro da cidade de São Paulo, em endereços icônicos da capital como a avenida São João e a Galeria do Rock, a música paulistana também foi prestigiada: há sons da banda Questions, como ‘Lutar’, que fala sobre o movimento antifascista; do grupo Radioviernes, como ‘Supernova’, que mostra a realidade de quem mora em um apartamento, rodeado de pessoas, mas ao mesmo tempo vive só em meio a tantas tecnologias.

Confira vídeo dos bastidores do curta Nunca Estarei Lá: https://www.instagram.com/tv/CZ4YSi9AR-4

 Contrapartida

‘Nunca Estarei Lá’ é financiada com recursos da Lei de Incentivo à Cultura de Mogi das Cruzes (LIC). A produção recebeu patrocínio do Veran Supermercados, Quasar Transporte e Logística, Otorrino e Alergia Clínica Especializada, Colégio Santa Mônica e mais de 30 apoiadores pessoa física a partir da contribuição via IPTU, além do apoio cultural de Instituto Galeria do Rock, Digital 35 Locação de Equipamentos Cinematográficos, Unibes - União Brasileiro Israelita do Bem-Estar Social, NCW Brasil, Thor Drones, Friends Group, CAV - Centro de Audiovisual de SBC e SP Cine. O filme será exibido em festivais de cinema pelo Brasil, espaços públicos de Mogi das Cruzes e região. O projeto também contará com a realização da oficina cultural de Introdução à Produção de Documentário.

  

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por