Entrar
Perfil
'LENDAS DO BASQUETE'

Rap celebra o basquete de rua de Mogi das Cruzes

Música produzida por Marcos Favela estabelece ligação entre o basquete e o movimento hip hop da cidade

Heitor Herruso
14/05/2022 às 13:41.
Atualizado em 14/05/2022 às 14:27

Clipe de 'Lendas do Basquete' reforça o fator social proporcionado pelo esporte (Reprodução - YouTube)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
'LENDAS DO BASQUETE'

Rap celebra o basquete de rua de Mogi das Cruzes

Música produzida por Marcos Favela estabelece ligação entre o basquete e o movimento hip hop da cidade

Heitor Herruso
14/05/2022 às 13:41.
Atualizado em 14/05/2022 às 14:27

Clipe de 'Lendas do Basquete' reforça o fator social proporcionado pelo esporte (Reprodução - YouTube)

O Brasil é conhecido internacionalmente como o “país do futebol”, e embora existam times dessa modalidade em Mogi das Cruzes, o esporte mais forte por aqui é o basquete. Mogi Basquete, o time da casa, já ganhou inúmeros títulos e coleciona milhares de torcedores. Mas há também o basquete de rua, ligado ao movimento hip hop. E este segmento acaba de virar rap neste sábado (14), com a produção de Marcos Favela.

Rapper e produtor musical, Favela tem um estúdio independente na cidade, o Home Estúdio Popular. Foi lá que ele reuniu sete artistas (Emy Rap - Fissão Nuclear; Mano Mack; Big Master - A Arca; Suspeito - Banca 121; Aliados D'Cristo; Dj Dablio - Fissão Nuclear; Dj  Zill) para criar a faixa 'Lendas do Basquete', já disponível no YouTube.

O refrão deixa claro o clima de orgulho. “Somos lendas do basquete, eternizados no rap. Somos lendas do basquete eternizados no scratch” (scratch faz referêcia aos sons do rap). E não é só isso: o clipe também.

Gravadas em locais como a Vila Industrial, na quadra Rafael Luiz Vieira, que homenageia o atleta conhecido como Parafa, as imagens mostram um lado do esporte que é difícil enxergar em jogos oficiais de qualquer modalidade: o fator social.

As rimas mostram que “a história continua, é basquete de rua”. E muitas delas reforçam este aspecto de comunidade, como é o caso de “Tempos e tempos, não há limitação. O amor por este esporte multiplica a união”; “Para nós não tem vitória ou derrota, não queremos fama; cesta de três, herança, toda criança” ou então “Sem discordância, porque aqui somos filhos de Deus”.

O orgulho também está em criar um registro relacionado ao movimento hip hop da cidade, como conta o produtor da faixa. “Depois de muita dedicação concretizamos esse trabalho maravilhoso. Mais uma página escrita na história do hip hop de Mogi das Cruzes”.

Militante e ativista, Favela é conhecido por abordar temas sociais em suas músicas. Exemplo disso é o disco ‘Veganize-se’, onde rima sobre o universo vegano. Ele também já virou notícia em O Diário por ter lançado um trabalho, ‘Jet na Suécia’, que aproximou Mogi deste país, a partir de uma parceria com o beat maker Adri Beatz, e também por produzir os trabalhos do rapper 2P, mogiano, que canta rimas agressivas, românticas e reflexivas.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
Copyright © - 2022 - O Diário de MogiÉ proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuído por