Com recursos da Lei Aldir Blanc via edital municipal de Mogi das Cruzes, o projeto ‘Atriz Brincante’, da atriz e gestora Daniele Santana, tem foco em agregar a formação teórica e prática de atores e atrizes da região. Além de oficinas já realizadas, a agenda conta com rodas de conversa e a “exibição de demonstração” de uma peça teatral.

A primeira das atividades está disponível no Facebook da criadora da agenda: uma roda de conversa com a atriz Daniela Beny. A próxima live será com a também artista Marilyn Nunes, que tem desenvolvido uma pesquisa na Índia, na próxima segunda-feira, dia 22. 

Antes disso, porém, neste sábado (20) o projeto conta com uma “exibição de demonstração de trabalho”. No perfil do Núcleo de Cultura Ousadia será possível acompanhar a peça ‘Rito de Partilha’, com foco na personagem Cícera. O espetáculo que voltará a ser exibido no dia 26, pelo Facebook de Daniele Santana, que integra o grupo Contadores de Mentira, de Suzano.

“O projeto é uma síntese da pesquisa que tenho desenvolvido”, conta Daniele. Os estudos proporcionaram “a elaboração de artigos, palestras, ações formativas, demonstrações de trabalho e uma obra solo”, e neste momento “caminham na elaboração de uma tese de mestrado”.

A idealizadora do ‘Atriz Brincante’ explica que a iniciativa era chamada originalmente de ‘Atrizes e Atores Brincantes’, pois “se firma na concepção de um corpo que assume o momento cênico como um espaço do rito pessoal e coletivo, onde a busca pela transcendência é vivida de modo a desafiar a percepção ‘crível’ ou ‘visível’ das possibilidades de relação e envolvimento entre criadores e espectadores, compreendendo ‘espectador’ como aquele que participa do ato cênico”. 

Embora pareça complexa, a busca de Daniele é simples, na verdade. Ela luta “por um teatro que desperte nervos e coração. Que se encontre com sua ancestralidade e seu contemporâneo, criando a conexão entre memória, presente e criação do futuro”.

É por isso que organizou “ações formativas que corroboram para a compreensão do conceito”. Ela planejou lives que mostram pesquisas que “caminham pela trilha da antropologia teatral”, além de outras ações, como a exibição da demonstração do já citado ‘Rito de Partilha’.

Ainda fizeram parte do escopo uma oficina teórica online e uma atividade formativa presencial, restrita a cinco pessoas, “cumprindo todas os protocolos de segurança estabelecidos para este momento de pandemia”. 

“Tivemos bastante gente acompanhando nossa primeira live”, comemora Daniele, que enxerga, a partir de ‘Atrizes Brincantes’, a força de um projeto maior, feito em grupo. “Temos uma pesquisa com os brincantes populares, e como sou moradora de Mogi, fiz um recorte específico para este cenário”. 

A oficina teórica online também registrou boa aceitação, inclusive com participantes internacionais. “Durante três dias tivemos 20 participantes, com nomes da região e também do Equador e Argentina”, conta a coordenadora, que comenta ainda o sucesso da ação presencial, uma espécie de continuação “específica” deste trabalho, para um público restrito.

Outras informações estão disponíveis nas redes sociais de Daniele Santana ou pelo telefone (11) 9.9852.9968.