O cantor Deo Miranda, de Mogi das Cruzes, canta influências nordestinas com pitadas de rock e outros estilos. Ele faz isso no disco ‘Poesia Dura, Língua Ferina, Coração Justo’, lançado pelo Estúdio Municipal de Áudio e Música Emam, e também no projeto projeto ‘Circularidades’, que ganha agora um novo desdobramento. Em formato solo, Deo apresenta, nesta terça-feira (30), logo mais as 20 horas, som regional e tocante, em estilo voz e violão.

Com o apoio estadual da Lei Aldir Blanc, ele apresenta, ao todo, nove músicas. Haverá mais outras sete, em uma nova agenda, no dia 9 de abril. O material é diferente do que foi levado ao palco do Teatro Vasques no ano passado. Todas as faixas são “mais regionais, mais raiz” e enaltecem  “folguedos, tradições populares e expressões”, de maneira intimista.

Do repertório desta terça-feira (30), seis músicas são assinadas por Deo: ’De Repente se Fez’, ‘Oração Brincante’, ‘O Domador de Rinocerontes’, ‘Lebranças D’outrora’, ‘Fio Azul’, ‘Folia’ e ‘O Trovador, O Ipê e As Esmeraldas’. Há ainda ‘Versos da Pedra Lavrada’, que exibe versos extraídos do livro homônimo, ‘Chamamento’, do cantor em parceria com Kleber Melo e ‘Trem Baiano’, de Dona Nadir e Samba de Pareia (Mussuca).

“É um espetáculo em duas partes, com músicas que são pensadas para violão, diferentes do disco”, convida Deo, que pode ser visto e ouvido em um vídeo gravado com segurança, com a produção audiovisual de Nelson Mortol e fonográfica de Sergio Basseti, respeitando todas as normas de distanciamento social e higienização que pede a pandemia de Covid-19.

Para assistir, basta ficar ligado na página oficial do artista na internet: https://www.facebook.com/deomirandaa.