Entrar
Perfil
ARTE

Lalala Dog começa o ano com novidades em exposição no Centro Cultural de Mogi

Exposição que segue até o dia 15 de fevereiro, no Centro Cultural de Mogi, conta com 16 painéis, dois biombos e novidades sobre a arte de Jaum

Heitor Herruso
22/01/2022 às 07:42.
Atualizado em 22/01/2022 às 13:02

Cyber Genius é um novo personagem apresentado pelo artista Jaum (Foto: Eisner Soares / O Diário)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
ARTE

Lalala Dog começa o ano com novidades em exposição no Centro Cultural de Mogi

Exposição que segue até o dia 15 de fevereiro, no Centro Cultural de Mogi, conta com 16 painéis, dois biombos e novidades sobre a arte de Jaum

Heitor Herruso
22/01/2022 às 07:42.
Atualizado em 22/01/2022 às 13:02

Cyber Genius é um novo personagem apresentado pelo artista Jaum (Foto: Eisner Soares / O Diário)

Até o próximo dia 15 de fevereiro pode ser apreciada gratuitamente a quarta mostra da Lalala Dog, grafite que já se tornou um clássico de Mogi das Cruzes. A arte é de João Ricardo, o Jaum, que expõe, no Centro Cultural da cidade, 16 diferentes telas, além de dois biombos imensos e muitas novidades. Quem for ao primeiro pavilhão do endereço (Praça Monsenhor Roque Pinto de Barros, 360) das 9 às 16h45 de segunda-feira a sábado encontrará muito material. Entre eles, há desenhos do cachorro estilizados em objetos, como uma lata de spray, um copo americano e uma máscara oriental. A Lalala Dog já teve “séries” diferentes. Quando os ‘Vingadores’ estavam fazendo sucesso nos cinemas, por exemplo, não era difícil encontrar grafites que representavam heróis no traço de Jaum. Agora, há um novo personagem: Cyber Genius Dog, “meio cibernético, com cérebro exposto, braços robóticos e mãos que são sprays”.   Esta vem de encontro com o que O Diário mostrou no último mês de outubro: a Lalala Dog voltou com força total. Outro exemplo disso é um aquário, também exposto no Centro Cultural, que está cheio com bicos de spray. Também podem ser vistos por lá muitos “donuts”, tipo de plástico que vem nas latas para demonstrar qual é a cor delas. 

Exposição traz acervo variado (Foto: Eisner Soares / O Diário)

 Como se fosse pouco, ainda tem mais. Dois biombos do espaço ganharam vida e cor com pinturas de dois metros de altura por seis de comprimento, que exibem “Lalalas” grandes, coloridas e alegres. Também está exposta uma foto da cachorra que inspirou o desenho, Dalila, o primeiro caderno de rascunhos de Jaum e a primeira reportagem sobre ele em O Diário, publicada em 2013.  Para finalizar, é preciso dizer que três collabs compõem a mostra, sendo um com Tom (@myname_toom), outro com Kee (@6cinco66) e mais um com Flávia Camparis (@flaviacamparistattoo), todos artistas de Mogi. Novidades As novidades da exposição de Jaum não se limitam a um personagem novo. Há também projetos inéditos. Um deles está se encaminhando para se tornar um “toy art”, brinquedo pensado para ser colecionado e também servir de decoração. Como pode ser visto na foto acima, há no Centro Cultural algumas “miniaturas em 3D” da Lalala, com aproximadamente 10 centímetros de altura. 

Há também projetos inéditos na exposição (Foto: Eisner Soares / O Diário)

 “Moldei alguns em massa moldável, e aí fiz o negativo de silicone, uma cópia em gesso e estou fazendo esses testes. O resultado final será um toy art colecionável”. Mas Jaum não para por aí. Ele comenta que este é apenas o primeiro de uma série de “novos formatos” que podem ser adquiridos, assim como os próprios painéis em cartaz. Ele promete que o simpático cachorro será disponibilizado, em breve, em formato NFT (tipo de arquivo digital único, espécie de token criptográfico com registro para o comprador). “A pessoa vira dona daquela imagem, que pode ser colecionada ou renegociada”, explica ele, que ainda não tem ideia de preços, mas justifica porquê esta ideia é interessante.Quem tem um painel da Lalala Dog sabe: as artes são únicas. Ou seja, não existem dois desenhos iguais. Mas agora, com os NFTs, isso pode acontecer. “A princípio vai ser releitura de alguns personagens que fiz em quadro. Vou fazer a digitalização deles, então quem tem o quadro e quer uma série única, pode adquirir a cópia digital. Ou outra pessoa poderá ter a mesma imagem também”. Até lá, é possível apreciar a já tradicional personagem de graça, no Centro Cultural, até o próximo dia 15 de fevereiro, e depois, em outros endereços. Uma nova mostra, ainda sem data definida, está sendo combinada com a equipe do CEU das Artes, na Vila Nova União.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por