Exibida inicialmente em 1991, a história de Doug Funnie, o garoto apaixonado por Patti Maionese e rival de Roger Klotz, ganha, 30 anos depois, um novo capítulo. Com recursos da Lei Aldir Blanc, a Raciocinando Filmes, de Mogi das Cruzes, está produzindo um live action média-metragem baseado no clássico desenho animado, para mostrar o que estes e outros personagens estão fazendo na vida adulta. Gratuito, o lançamento está previsto para o dia 10 de fevereiro, no YouTube, mas a partir deste sábado, dia 9, já será possível acompanhar materiais como trailers e imagens de bastidores pelo Facebook e Instagram.

‘Doug na Vida Adulta’, o filme, mostra como estariam hoje os personagens da animação exibida no Brasil pelo SBT e TV Cultura. Jovem adulto que faz faculdade, ainda mora com os pais e luta para conseguir um bom emprego, o protagonista vai, pouco a pouco, reencontrandoseus antigos colegas.

É, por exemplo, numa cafeteria que reencontra Patrícia “Patti” Maionese, sua antiga paixão. E é numa entrevista profissional que cruza com Roger Klotz, com quem disputa uma vaga em uma agência de publicidade. Além deles, aparecem também nomes como Skeeter Valentine e Sr. Dink, além de novos amigos, criados especialmente para o fan film.

O enredo deixa de lado questões escolares para lidar com dilemas mais maduros, como “relacionamento amorosos e familiares”. Em resumo, na tela será possível conferir “a história de Doug 15 anos após o desenho original, em sua fase adulta”.

Ainda que o tom colorido dos personagens tenha sido alterado por uma nova estética “baseada na vida real”, a essência continua. O figurino de Doug, por exemplo, sempre traz na parte superior peças brancas e verdes, mantendo uma bermuda marrom e um tênis do tipo All Star. 

Responsável pela Raciocinando Filmes e intérprete do protagonista, Nando Rodrigues promete ainda elenco com características físicas semelhantes aos personagens do desenho animado. “Todos têm experiência prévia na atuação e foram escalados com perfis muito próximos”, diz ele.

Fan film

‘Doug na Vida Adulta’ não é oprimeiro fan film da Raciocinando Filmes, que em 2018 alcançou projeção nacional ao lançar ‘A Lenda de Fênix’, baseado no anime ‘Cavaleiros do Zodíaco’. Elogiada pela bela fotografia e efeitos especiais, a produtora repete a dose no novo projeto.

O público pode esperar por visuais interessantes e criativos em todo o média-metragem, especialmente nos “flashbacks, lembranças e devaneios”. Nando Rodrigues conta, com o carinho de fã, que haverá destaque para o retorno do ‘Capitão Codorna’, herói criado pela mente inventiva do então pequeno Doug, nos anos 90.  O mesmo carinho está sendo empregado natrilha sonora, gravada por Philipe Antunes com base nas músicas originais do desenho.

Contrapartidas

Diretamente, ‘Doug na Vida Real’ está beneficiando 25 pessoas, todas profissionais da área cultural, como atores e figurinistas. Além deste impacto direto no setor, há apoio indireto para outras dezenas de agentes, como para os locais cedidos para as locações, todos de Mogi das Cruzes, cidade em que o projeto foi contemplado via edital da Lei Aldir Blanc. 

Dos R$ 15 mil líquidos disponibilizados ao projeto, 55% foram distribuídos entre a própria equipe de produção. Outros 20% para remuneração do elenco, 17% para gastos com produção e o restante para a compra de objetos, figurinos e equipamentos. 

Para a população de Mogi, o projeto ganha tom especial, já que é possível reconhecer locais como o Espaço Ler, o Colégio CWC, de Braz Cubas, e a agência A Fábrica Comunicação, que cederam suas instalações para as gravações, de acordo com as normas desegurança e distanciamento social em função da pandemia de Covid-19.

Ou seja, com recursos limitados, a Raciocinando Filmes produz um material de qualidade, com roteiro, atuação, efeitos especiais e edição profissionais. “Muitas pessoas não valorizam devidamente as produções de cinema, principalmente as independentes. O objetivo de fazer fan films, como ‘A Lenda de Fênix’ e agora um do ‘Doug’, é quebrar o preconceito, atingindo pessoas quemnão iriam ver produções pequenas”, diz Nando Rodrigues, que comemora oreconhecimento e o repasse de recursos federais ao projeto.

“Essa verba é bem importante e sou muito grato. Em primeiro lugar, é uma premiação para a ‘Lenda de Fênix’, e depois permite uma nova produção, que dependia de verba para sair do papel”, finaliza ele.