MENU
BUSCAR
NO GLOBOPLAY

Em documentário, Luciano Huck discute temas como política e desigualdade

Em‘2021: o Ano que não Começou’, apresentador aborda assuntos como desigualdade, educação, racismo e antirracismo, capitalismo, política, pobreza, tecnologia e família

Imprensa GloboPublicado em 07/06/2021 às 15:33Atualizado há 8 dias
Divulgação
Divulgação

O mundo nunca esteve tão conectado. Em tempos de pandemia de Covid-19 e distanciamento social, um novo mundo totalmente interligado começou a se desenhar. ‘2021: o Ano que não Começou’, de Luciano Huck, retrata essa conexão abordando temas como desigualdade, educação, racismo e antirracismo, capitalismo, política, pobreza, tecnologia e família. 

O documentário já está disponível no Globoplay, mesmo para não assinantes.

“A pandemia levou o mundo a uma transformação involuntária e dolorosa. ‘2021: O Ano Que Não Começou’ é parte do meu olhar curioso e de uma vontade legítima de escutar e aprender. Uma busca por ideias, pensamentos, reflexões e propostas que possam fazer do mundo um lugar possível, mais afetivo e eficiente. Para isso, fui em busca de referências globais do livre pensar e procurei construir pontes. O resultado foi surpreendente”, adianta Luciano Huck.

Com depoimentos cedidos com exclusividade ao apresentador, o documentário discute caminhos para problemas enfrentados no Brasil e no mundo. A obra reune opinióes de De Rutger Bregman, historiador e autor do best-seller ‘Utopia para Realistas’; Scott Galloway, professor da Universidade de Nova Iorque e empreendedor; Thomas Friedman, vencedor de três prêmios Pulitzer e colunista do jornal The New York Time; Peter Diamandis, fundador da Singularity University e empreendedor; Graça Machel, ativista e fundadora do Graça Machel Trust; Thomas Piketty, economista e autor do best-seller ‘O Capital no século XXI’; Esther Duflo, professora do MIT e vencedor do Prêmio Nobel de Economia em 2019; Nandan Nilekani, cofundador da Infosys; Yuval Harari, professor de história e autor do best-seller internacional “Sapiens”; Preto Zezé, presidente da Central Única das Favelas (CUFA); Silvio de Almeida, advogado, filósofo e professor universitário; Luana Genot, fundadora e diretora-executiva do ID_BR; e Alexandre Mendonça De Barros, engenheiro agrônomo e economista.

Idealizado por Luciano Huck, com direção geral de Guilherme Melles, direção de Fernando Acquarone, roteiro Giuliana Vallone e André Brandt, o documentário "2021: O Ano Que Não Começou" está disponível no GNT e Globoplay.

ÚLTIMAS DE Cultura