Durante a pandemia, trabalhadores da cultura precisaram experimentar novas formas para exercer o ofício artístico. A criatividade vista em obras lançadas no último ano tende a se repetir neste 2021, quando ainda não é possível fazer shows ou atividades com aglomeração. Para que o leitor possa sentir o sabor do que o novo menu de artes de reserva, O Diário preparou uma lista com alguns dos mais diversos trabalhos que serão lançados nos próximos meses. 

Música

Para a música de 2021, há muitas ofertas educacionais em Mogi das Cruzes. Exemplos são as aulas do ‘Studio Virtual de Violino’, de Mariana Ribeiro, os cursos ‘Criando Canções’ e ‘Comunidade Tocando Canções’ de Paulo Henrique, o PH; também a agenda ‘Somando Música e Emoções’, voltado para educadores, pais e professores, do Terra de Almofadas; e ainda as bolsas de estudos em instrumentos pela escola Luciana Massaro.  

Tem até um projeto sendo elaborado em Guararema, pelo músico Rafael Alves, “que visa a disseminação de oportunidades de educação musical para pessoas carentes de Guararema”.

A diversidade é ainda maior entre os álbuns a serem lançados. O rapper Cachildo se prepara para gravar o primeiro disco pelo Estúdio Municipal de Áudio e Música (Emam), ‘Mexe com a Gente’; Sandra Vianna está montando ‘Alma de Rio’, também pelo Emam, com recursos da Lei Aldir Blanc.

O mesmo vale para Sabrina Pacca, que está na fase de pré-produção de ‘Canela’. Ela deve começar a gravar em março, mesmo mês em que Vital de Souza promete lançar o CD ‘Trilhas e Ilhas’, do projeto ‘Cantalogia’.

Outro artista que espera registrar novas músicas em 2021 é Serginho Machado, que pretende estrear o quinto álbum da carreira. Kaue Moro Caldas, o Kau, se prepara para gravar o EP ‘Interior’, e Brenô também tem novidades. 2021 é o ano em que o segundo disco solo dele, ‘Floresça’, será disponibilizado, no segundo semestre. 

Quem também prepara disco novo é a pianista Juliana Cardoso Rodrigues. Em parceria com Abner Paul e João Benjamin. Instrumental, ‘Vive’ é promessa para abril, nas plataformas digitais.

Tem os discos ‘Autêntica Música Brasileira’, do grupo Molho Madeira, e um novo EP da banda Bravaguarda. E ainda shows online, como o de Sergio Braz, ‘Viver o Amor’, que estará em breve no YouTube. O veterano Rui Ponciano também tem projetos inéditos, como uma “flash live semanal”.

Teatro

Enquanto o Contadores de Mentira, de Suzano, prevê uma nova leva de programações online, a DigiClub, casa noturna de Mogi, além de um novo endereço, pretende dar início a uma escola de teatro. E falando nisso, estarão de volta, ainda neste ano, as oficinas de teatro livre e circo na Escola de Artes Ousadia, gerida por Erika Capella. E tem mais mulheres envolvidas na cena teatral: Giselle Magalhães fará, em março, a performance ‘Ensina-me a Fazer Arte’ em três diferentes pontos de Poá, com recursos da Lei Aldir Blanc. E de volta à Mogi, Priscila Nicoliche adianta: o espetáculo ‘Medea (I) Material’ será lançado virtualmente, em versão gravada.

Literatura

Magno Oliveira e outros nove poetas preparam uma antologia poética; Roberto Bordin escreve ‘Rei Momo Passa por Mogi – A História do Carnaval Mogiano’; Michael Meyson monta o primeiro livro solo; seguem as atividades do grupo Entremeio Literário. E tem até premiação, para o livro 'Katarzze: Os Bastidores do Sucesso', de Margarete Brito, que pede votos populares para o Prêmio Ecos Da Literatura 2020.

Cinema

Exemplos de novos filmes são o curta-metragem de ficção ‘Nunca Estarei Lá’, de Rodrigo Campos, que será lançado em março, e o fan film longa-metragem ‘Doug na Vida Adulta, da Raciocinando Filmes, com lançamento previsto para o mesmo mês.

Dança

Em 2021, seguem as atividades da Companhia Encontro em Movimento. E também iniciam-se novas ações, como as da escola Fernanda Moretti, que seleciona bolsistas para estudos em balé clássico e jazz, ou então as aulas de atabaque  ‘C’ouro de Lua’ e dança do ventre ‘Corpo Cíclico’, coordenadas por Alissa Vianna no Canto de Cabocla.

Artes visuais e mais

Mauricio Chaer continuará dando vida ao “alagado” próximo a uma rotatória da Avenida Francisco Rodrigues Filho. Neste ano, ele dará suporte às escadas que instalou recentemente neste ponto, em homenagem às vítimas da Covid-19. E a arte sobrevive também com oficinas como a de Marco Guerra, de ‘Boneco Mamulengo’ e o 1º Torneio Online de Tatuagem em Mogi das Cruzes, promovido por Rodrigo Tatoo entre março e abril. Tem também o 2º Festival da Cachaça, Arte e Gastronomia do Alto Tietê e o diferente projeto ‘Rizomas e Encruzas’, de Gustavo Castro Lima, com “caminhos decoloniais nas artes e educação”.