MENU
BUSCAR
CULTURA

Cultura presta conta à Câmara sobre investimentos realizados em 2021

Durante encontro com a Comissão de Cultura do Legislativo, a secretaria informou que de janeiro a abril de 2021, já foram empenhados R$ 2,9 milhões no setor

DiárioPublicado em 31/05/2021 às 19:35Atualizado há 15 dias
Divulgação CMMC
Divulgação CMMC

Dentre os objetivos de trabalho da Pasta, a secretária informou a intenção é descentralizar os equipamentos de cultura da cidade, que atualmente estão concentrados no Centro Histórico.

A Câmara Municipal de Mogi das Cruzes promoveu nesta segunda-feira (31) uma audiência pública de prestação de contas da Secretaria Municipal de Cultura, sobre investimentos e projetos desenvolvidos no setor neste primeiro quadrimestre de 2021.

Durante o encontro, realizado pela Comissão Permanente de Cultura, Esporte e Turismo do Legislativo, a secretária municipal de Cultura Kelen Chacon e sua equipe técnica apresentaram os programas em andamento na Pasta, que janeiro a abril de 2021, já empenhou R$ 2,9 milhões.

Logo após a abertura da reunião, comandada pelo presidente da comissão, vereador Marcos Furlan (DEM), destacou a importância de discutir os projetos e ampliar o debate para construir uma cidade melhor. “Esta é a primeira de muitas audiências sobre a Cultura que irá se perpetuar sobre o município, independentemente de quem esteja na Câmara ou Prefeitura”, ressaltou Furlan.

A secretária, por sua vez, destacou a importância de estabelecer um relacionamento mais estreito com o Legislativo. “O que nos traz aqui hoje é esse diálogo democrático, franco e essa possibilidade de criar canais de construção coletivamente, que têm sido nossa principal atuação nesses primeiros meses de gestão”, afirmou Chacon.

No início da apresentação, a secretária falou sobre o sistema usado pela Prefeitura para cadastro de artistas e profissionais da arte e da cultura da cidade. Ela ressaltou a importância da ferramenta, que por funcionar por meio de georreferenciamento, ajuda no direcionamento de recursos. “Com isso nós conseguimos identificar onde estão os nossos artistas em Mogi, quais linguagens e segmentos eles representam, trabalham e direcionam suas formações e suas ações. Também por meio dele (do sistema) podemos fazer a seleção direta para contratação”.

A Secretaria de Cultura mantém atualmente os seguintes Programas: Lei de Incentivo à Cultura, Programa de Fomento à Arte e Cultura, Programa Diálogo Aberto, Programa Pró-Memória, Programa Corpos Estáveis, Carnaval, Programa Núcleos Criativos e Oficinas Culturais.

Dentre os objetivos de trabalho da Pasta, a secretária informou a intenção é descentralizar os equipamentos de cultura da cidade, que atualmente estão concentrados no Centro Histórico.

Em 2021, foram empenhados na Cultura 54% dos recursos em políticas públicas de fomento à Cultura. O restante irá para suprir a estrutura administrativa. De janeiro a abril, já foram empenhados R$ 2,9 milhões. O orçamento para a Cultura no ano é de R$ 7,5 milhões.

A secretária também deu um panorama geral da aplicação dos recursos da Pasta no ano de 2020. Foram aplicados 64% dos recursos em políticas públicas de fomento à Cultura, o que corresponde a R$ 6,6 milhões. Os outros 36% foram aplicados na estrutura administrativa da Secretaria: R$ 3,7 milhões. Lembrando que no ano passado a Secretaria de Cultura contou com o aporte de mais de R$ 2 milhões da lei federal Aldir Blanc.

 Estiveram presentes na audiência os vereadores Eduardo Ota (PODE), Juliano Botelho (PSB), José Luiz Furtado (PSDB), Edinho do Salão (MDB), Bigêmeos (PSD), Malu Fernandes (SD) e Policial Maurino (PODE).

ÚLTIMAS DE Cultura