Entrar
Perfil
CINEMA

Confira análise de 'Duna', ficção científica que está em cartaz no cinema de Mogi

Saiba tudo sobre o filme que adapta a história do românce homônino escrito por Frank Herbert em 1965

Heitor Herruso
11/11/2021 às 17:17.
Atualizado em 11/11/2021 às 17:33

Josh Brolin, Oscar Isaac, Timothée Chalamet e Rebecca Ferguson são alguns dos nomes do elenco (Divulgação)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
CINEMA

Confira análise de 'Duna', ficção científica que está em cartaz no cinema de Mogi

Saiba tudo sobre o filme que adapta a história do românce homônino escrito por Frank Herbert em 1965

Heitor Herruso
11/11/2021 às 17:17.
Atualizado em 11/11/2021 às 17:33

Josh Brolin, Oscar Isaac, Timothée Chalamet e Rebecca Ferguson são alguns dos nomes do elenco (Divulgação)

Os horários estão reduzidos - e somente há sessões legendadas (veja abaixo) -, mas ainda dá para assistir ao filme 'Duna' no Cinemark do Mogi Shopping, em Mogi das Cruzes. E aqui vai a palavra de quem já assistiu: vale a pena.

155 minutos podem ser um tanto quanto longos, principalmente aos desavisados sobre a história, cujo início é complexo. Mas quem for ao cinema não perde por esperar.

Carregando...

A sinopse geral mostra que "em um futuro distante, planetas são comandados por casas nobres que fazem parte de um império feudal intergalático".

Como demora para que o filme engate e faça o espectador se situar no universo,aqui vai uma ajuda: a história de 'Duna' é baseada no romance homônimo, escrito pelo americano Frank Herbert, em 1965. É, nada mais, nada menos, do que uma das obras de ficção científica mais vendidas de todos os tempos - e que teve jogos de computador muito famosos nos anos 90 e inclusive uma outra adaptação cinematográfica, em 1984.

Voltemos à sinopse, para seguir com o enredo. Paul Atreides (interpretado por Timothée Chalamet, de 'Me Chame Pelo Seu Nome') é um jovem cuja família toma controle do planeta deserto Arrakis, também conhecido como Duna. 

Filho de Leto (Oscar Isaac, da nova trilogia de 'Star Wars') e Jessica Atreides (Rebecca Ferguson, de incontáveis sucessos, como as franquias 'Missão Impossível', 'MIB' e longas como 'O Rei do Show' e 'Doutor Sono'), Paul, na verdade, é o próximo na ascensão do trono de seu povo, que recebe a ordem de ir à Duna, considerada a única fonte da especiaria melange, a substância mais importante do cosmos.

Para efeito de comparação com o mundo real, essa especiaria seria uma espécie de petróleo, mas em formato de pó vermelho, extraído das areias de um extenso, quente e solitário deserto.

O protagonista está descobrindo muitos dos conceitos sobre o universo da trama. Neste processo, além de seus pais, entram em cena outros atores, como Jason Momoa (de 'Aquaman' e 'Game of Thrones'), Zendaya (de 'Homem Aranha' e a série 'Euphoria'), Javier Bardem (de 'Onde os Fracos Não Tem Vez', 'Mãe!' e muitos outros filmes) e Josh Brolin (de 'Vingadores'  e 'Deadpool'), o que torna a experiência didática ao espectador, que é beneficado por esse aprendizado.

Com uma informação aqui e outra ali, quem assiste vai juntando as peças de um complexo quebra cabeça. Pouco a pouco a trama se desenrola, revelando uma Arrakis muito mais profunda do que somente um gigantesco campo de mineração. Como consta no texto oficial - e como garantem os vilões liderados por Dave Bautista (de 'Guardiões da Galáxia')-, este "se prova ser um planeta nem um pouco fácil de governar".

É lá, em Arrakis, que o filme, com classificação indicativa de 14 anos, apresenta, além de violência, conceitos adultos como política (com direito a conspiração e golpe - olha o spoiler!) e desigualdade social.

Para não entregar muito e não estragar a experiência, a partir daqui basta dizer que Paul segue o "mito do herói". Após uma morte muito impactante - como tem de ser - ele recebe o artefato que o faz acreditar - como também tem de ser - que pode ser o escolhido. Mas... escolhido para quê? Só assistindo para saber.

Após se ver forçado a encarar a dureza do próprio destino, o garoto vai se transformando em uma espécie de líder, guiado por visões. O filme o coloca na posição central, a peça-chave para resolver o enorme conflito de Duna. É claro que a conclusão virá na segunda parte do filme (que será filmada em julho de 2022), mas aqui o espectador acompanha o despertar e o início da jornada do protagonista.

Sem dizer muito mais, vale destacar o primor da fotografia, que mesmo após duas horas e meia, passa a sensação de calor provocada pelo sol escaldante e não cansa ao apresentar diferentes planos para semelhantes dunas de areia e seus imensos vermes.

Também é preciso reconhecer a atuação de todo o elenco. Os olhares revelam muito, vale a pena observar. Leto, pai de Paul, tem olhar sereno, mas firme, que pode, quando necessário, se tornar um foco de fúria. Jessica, mãe dele, revela medo em seus olhos, mas também grande sabedoria.

E o próprio menino nem precisaria falar para demonstrar desinteresse pelos assuntos da família no início do filme, o que mais tarde evolui para empolgação, depois apreensão, medo e raiva até finalmente chegar ao brilho característico do olhar de um herói.

 Horários

Nesta quinta (11) e sexta-feira (12), só há uma sessão de 'Duna' por dia no Cinemark de Mogi das Cruzes, às 14h40 na sala 7 - VIP. A partir de sábado não aumenta a quantidade de salas que exibem o filme, mas muda o horário: 13h10, ainda no espaço considerado como "prime". Só há a opção legendada e 2D. Confira em https://www.cinemark.com.br/mogi-das-cruzes.

Também continua em cartaz 'Venom: Tempo de Carnificina', que a reportagem de O Diário já assistiu e publicou uma resenha. Clique aqui e confira.

 Segurança

O Cinemark do Mogi Shopping informa que segue os protocolos de segurança para garantir a segurança dos clientes. Além do uso obrigatório de máscara, a dica é chegar cedo para comprar a pipoca. São duas filas, sendo uma delas para comprar os combos com pagamento via cartão de débito ou crédito, e outra para retirada.

Fazendo isso, é possível entrar na sala com calma e verificar a poltrona com tempo de sobra. É permitido que quem foi junto sente pertinho, mas há  pelo menos um assento de distanciamento entre pessoas que não se conhecem, e a capacidade máxima das salas está reduzida. Saiba mais em https://www.cinemark.com.br/protocolo/.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por